BARRA DO GARÇAS

Agronegócio

Produtor de MT deve R$ 11 mi para gigante do agro; veja lista de credores

Leonardo Schmitt é produtor em Brasnorte e tem dívidas de R$ 46 milhões

Publicados

Agronegócio

O produtor rural Leonardo Schmitt, que atua em Brasnorte (534 KM de Cuiabá), publicou a lista de credores no âmbito do processo de recuperação judicial que move no Poder Judiciário de Mato Grosso. As dívidas ultrapassam os R$ 46 milhões.

Um despacho da 4ª Vara Cível de Sinop (500 KM de Cuiabá), do último dia 23 de junho, revela que os principais credores do produtor rural são a Amaggi Exportação e Importação e a Birck – empresa de Santa Catarina que fornece peças de substituição para máquinas agrícolas.

O processo narra que Leonardo Schmitt iniciou suas atividades no ano de 1987 no município de Brasnorte, e acabou acumulando dívidas após “crises econômicas globais, perda da produção em razão da variação climática, necessidade de reestruturação tecnológica e dificuldades com a logística”.

Com a publicação, os credores possuem 10 dias para apresentar impugnações ao Poder Judiciário.

Confira abaixo a lista:

TRABALHISTA

1 CARLOS ALBERTO SIQUEIRA, R$ 14.908,22

2 DIEGGO BRUNO PIO DA SILVA, R$ 668.156,21

3 FABIANO MAGALHÃES FERRARI, R$ 427.990,88

Leia Também:  Prefeituras oferecem vagas com salários de até R$ 15 mil

4 GERSON GARCIA MEADO, R$ 60.000,00

5 JOSE ANDRE DA SILVA, R$ 8.694,40

6 LAURINDO VICENTE SCHERER, R$ 12.805,20

7 SAMIR DARTANHAN RAMOS, R$ 326.865,00

8 SIRINEI RECKTENWALD, R$ 8.984,30 GARANTIA REAL

9 ADEMAR BIRK, R$ 5.011.322,25

10 AMAGGI EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO LTDA., R$ 11.333.161,90

11 LAVORO AGROCOMERCIAL S.A, R$ 4.243.644,21

12 JULCI BIRK, R$ 3.268.650,00 ME E EPP

13 FAVETTI INSUMOS AGRÍCOLAS, R$ 161.036,49

14 J. RUBIN – ME – AUTO POSTO PARCEIRO, R$ 1.171,16

15 LIDER COMERCIO DE PECAS AGRICOLAS LTDA – EPP, R$ 909,77

16 MARCELO AUTO PEÇAS, R$ 28.652,91

17 NICOLETTI & CIA LTDA – MERCADAO AGRICOLA EPP, R$ 4.296,03

18 RETIFORT – RETIFICA DE MOTORES EPP, R$ 3.193,63

QUIROGRAFÁRIO

19 AGROCAT DISTRIBUIDORA DE INSUMOS AGRICOLAS, R$ 238.831,75

20 HÉLVIO LUIZ KOWALEWSKI, R$ 2.966.503,12

21 JOSE DOS SANTOS NETO, R$ 204.956,48

22 LIA STEFFEN SELL, R$ 2.748.752,03

23 MARCIO JOSÉ DAL MORO MATHIAS, R$ 13.221.767,90

24 PARECIS MAQUINAS AGRICOLAS LTDA, R$ 94.990,01

25 BANCO BRADESCO FINANCIAMENTOS S.A., R$ 98.748,95

Leia Também:  Após "profecia" em live, cantor sertanejo compra fazenda de R$ 275 mi em MT

26 MT DIESEL – MT COMERCIO DE COMBUSTIVEIS, R$ 340.050,31

27 VOLMAQ MAQUINAS AGRICOLAS LTDA., R$ 2.809,91.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Senador do agronegócio de Mato Grosso sai na defesa de Lula e afirma “Não é o MST, é o Bolsonaro que toma nossas terras”

Senador defende governo do PT e diz que Bolsonaro defende desmatamento e grilagem de terra

Publicados

em

O PT está eufórico com o apoio que a candidatura Lula conquistou nos últimos dias num segmento quase eminentemente bolsonarista: o agronegócio.

O petista está “entrando” num dos estados mais pró-Bolsonaro do país, que é o Mato Grosso. Em 2018, esses eleitores deram 66,4% de votos ao atual presidente, na disputa contra Fernando Haddad.

Na última pesquisa do Datafolha, Bolsonaro alcançava 32% no Centro-Oeste, contra 25% de Lula.

Na semana que passou, Lula ganhou a adesão de uma turma forte do agronegócio matogrossense. Estão com o PT o senador licenciado Carlos Fávaro, do PSD de Kassab, e o deputado federal Neri Geller, do PP de Arthur Lira

Juntos, trazem o apoio da família Maggi, onde estão os maiores produtores de soja do mundo.

 

Os dois – Fávaro e Geller – estiveram com Lula e Geraldo Alckmin semana passada, em Brasília. Posaram para fotos e oficializaram o apoio.

Desde o anúncio, os dois estão sendo alvos de críticas e de notas de repúdio de um ou outro sindicato rural no estado, mas também têm recebido apoios, esses mais discretos e em silêncio.

Leia Também:  Preço da carne sobe cerca de 30% em um ano em MT

Fávaro, que já foi um assentado da reforma agrária e hoje é uma agropecuarista de peso no estado, conversou com o Blog do Noblat sobre esse momento. Está convicto de sua escolha. Ele argumenta, com dados comparativos, que as gestões do PT foram muito mais vantajosas para o agronegócio que esses quatro anos de Bolsonaro.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA