Brasil

O ponto mais importante da fala de Lula: é preciso devolver o fascismo ao esgoto de onde jamais deveria ter saído

Publicados

Brasil

Dos cerca de 40 minutos de discurso, lido durante o lançamento do Movimento Vamos Juntos Pelo Brasil neste sábado (7) em São Paulo, o ponto mais importante da fala do ex-condenado Lula foi a defesa de que o fascismo seja devolvido ao esgoto onde jamais deveria ter saído e a defesa de uma “revolução pacífica” no País.

“Chega de ameaças, chega de suspeições absurdas, chega de chantagens verbais, chega de tensões artificiais”, disse Lula. “Nós vamos fazer a maior revolução pacífica que a história do mundo conhece”.

O país precisa de calma e tranquilidade para trabalhar e vencer as dificuldades atuais. E decidirá livremente, no momento que a lei determina, quem deve governá-lo”, acrescentou.

Nós queremos governar para trazer de volta o modelo de crescimento econômico com inclusão social que fez o Brasil progredir de modo acelerado e tirou 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza”, disse.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Secretário reitera previsão de nomear 1,2 mil aprovados até julho
Propaganda

Brasil

Maioria dos brasileiros desaprova indulto de Bolsonaro concedido a Silveira, diz pesquisa

Levantamento do Ipespe mostra que 56% dos entrevistados rejeitam o perdão presidencial ao deputado

Publicados

em

O indulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado a nove anos e oito meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal, é desaprovado por 56% dos brasileiros, de acordo com pesquisa Ipespe divulgada nesta sexta-feira 6.

O levantamento aponta que o perdão presidencial é aprovado por 29% dos entrevistados. Outros 15% não responderam.

O parlamentar bolsonarista foi acusado de incentivar ataques contra ministros do STF. A sentença condenatória, além da prisão, acarretaria na perda de mandato e de direitos políticos, inviabilizando uma reeleição à Câmara dos Deputados ou uma candidatura ao Senado.

Um dia após o julgamento, no entanto, o presidente publicou um decreto em que perdoava a pena imposta ao deputado.

O relator da ação, ministro Alexandre de Moraes, em outro despacho, afirmou que o perdão judicial não teria efeitos sobre a inelegibilidade de Silveira. A extinção da punibilidade em decorrência do indulto ainda precisa ser validada pela Corte.

O Ipespe também questionou o impacto do perdão na chance das pessoas votarem em Bolsonaro. Segundo o instituto, 35% disseram que diminui, 20% que aumenta e 31% que não altera.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Candidatura de Moro abala Bolsonaro e não Lula, avalia cientista político
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA