a

Brasil

Pesquisa mostra goleada que Bolsonaro está tomando em um estado decisivo

Publicados

Brasil

Desde a redemocratização do país, três coincidências são certas quando são contabilizados os votos das eleições presidenciais: o vencedor do pleito sempre ganhou em Minas Gerais, em Alagoas e no Amazonas com uma porcentagem muito semelhante à do restante do país, como se esses estados sempre espelhassem o resultado nacional.

Isso pode ser dito por Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma Rousseff e Jair Bolsonaro. Ou seja, por governantes de esquerda, de centro, da centro-direita e até da extrema-direita.

Mas em um desses estados, a coincidência dos números salta os olhos, para não dizer que é inacreditável.

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo nesta segunda, 20, se compararmos os votos para presidente em Minas Gerais com os votos para presidente no país, descobrimos que os mineiros são o retrato fiel dos brasileiros que vão às urnas.

Afirmou o matutino:

“Para citar alguns exemplos, Dilma foi a preferida de 46,91% dos brasileiros e de 46,98% dos mineiros em 2010, Serra obteve 23,19% no país e 22,86% no estado em 2002, e Geraldo Alckmin, 41,64% e 40,62% em 2006, respectivamente, todos no primeiro turno”

Leia Também:  Bruno se casa com dentista dentro da cadeia

É ou não é um dado impressionante?

A Folha explica que o segundo maior colégio eleitoral do Brasil, com 15,8 milhões de eleitores (ou 10,5% dos votantes no país), resume o país em sua “diversidade, em termos geográficos, demográficos e socioeconômicos”.

Se isso for verdade – e as estatísticas evidenciam que parece ser – Jair Bolsonaro tem um grande problema para resolver: o humor dos mineiros. Virar o jogo em Minas Gerais significaria para o político descobrir o mapa do que deve fazer para conseguir a reeleição – um caminho que seria terrível para o país, como já disse aqui neste espaço reiteradamente.

A coluna estudou todas as últimas pesquisas de intenção de voto para presidente em Minas Gerais: Lula aparece com uma média de 45%, enquanto Bolsonaro aparece com 30%. Ou seja, uma diferença de 15 pontos – de novo, repetindo o que tem ocorrido no Brasil inteiro, até este momento do ano eleitoral.

Como afirmou recentemente à coluna Felipe Nunes, cientista político da UFMG e Diretor da Quaest, “tanto no Rio quanto em Minas, Bolsonaro encontra um campo interessante para tentar persuadir os seus antigos eleitores de 2018”. Nunes falava dos acordos estaduais, que podem vir a beneficiar o atual presidente. Até agora, isso não se concretizou.

Leia Também:  Coletivo de cinema negro cuiabano é indicado ao Prêmio Pipa

Como o período eleitoral ainda não começou, é importante ter a certeza que o jogo ainda está aberto. Mas os mineiros comprovam ao atual presidente que está cada vez mais difícil ele tornar real uma virada bolsonarista contra um candidato forte como Lula. Até aqui, vai perdendo de goleada…

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

Datafolha: Lula tem 47% no primeiro turno, contra 28% de Bolsonaro

A pesquisa ouviu 2.556 pessoas nos dias 22 e 23 de junho em 181 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Publicados

em

Pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta quinta-feira (23) pelo jornal “Folha de S.Paulo” revela os índices de intenção de voto para a eleição presidencial de 2022.

Foram apresentados como pré-candidatos: Lula (PT), Jair Bolsonaro (PL), Ciro Gomes (PDT), André Janones (Avante), Simone Tebet (MDB), Luciano Bivar (União Brasil), Felipe D’Ávila (Novo), Eymael (DC), Pablo Marçal (Pros), General Santos Cruz (Podemos), Leonardo Péricles (UP), Sofia Manzano (PCB) e Vera Lúcia (PSTU).

Em relação ao levantamento anterior, Lula oscilou um ponto para menos, dentro da margem de erro. Bolsonaro oscilou um ponto para mais, também dentro da margem de erro.

Pesquisa estimulada de intenções de voto no 1º turno

 

  • Lula (PT): 47% (48% na pesquisa anterior, em maio)
  • Jair Bolsonaro (PL): 28% (27% na pesquisa anterior)
  • Ciro Gomes (PDT): 8% (7% na pesquisa anterior)
  • André Janones (Avante): 2% (2% na pesquisa anterior)
  • Simone Tebet (MDB): 1% (2% na pesquisa anterior)
  • Pablo Marçal (Pros): 1% (1% na pesquisa anterior)
  • Vera Lúcia (PSTU): 1% (1% na pesquisa anterior)
  • Em branco/nulo/nenhum: 7% (7% na pesquisa anterior)
  • Não sabe: 4% (4% na pesquisa anterior)
Leia Também:  Vou indicar quem toma cerveja comigo”, diz Bolsonaro sobre indicação ao Supremo

Felipe d’Avila (Novo), Sofia Manzano (PCB), Leonardo Péricles (UP), Eymael (DC), Luciano Bivar (UB) e General Santos Cruz (Podemos) não pontuaram.

A pesquisa ouviu 2.556 pessoas nos dias 22 e 23 de junho em 181 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Votos válidos

 

Lula ganharia no primeiro turno, pelos números do Datafolha divulgados nesta quinta. Em relação à pesquisa anterior, ele e Bolsonaro oscilaram dentro da margem de erro.

  • Lula (PT): 53% (54% na pesquisa anterior, em maio)
  • Bolsonaro (PL): 32% (30% na pesquisa anterior, em maio)
  • Ciro (PDT): 10%

 

Pesquisa espontânea

 

A pesquisa espontânea mostra que Lula segue líder: tinha 38% e agora tem 37%. Bolsonaro passou de 22% para 25%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

  • Lula: 37% (38% em maio)
  • Bolsonaro: 25% (22% em maio)
  • Ciro: 3% (2% em maio)
  • Não sabe: 27% (29% em maio)
  • Em branco/nulo/nenhum: 6% (5% em maio)
Leia Também:  Reunião entre Mauro e Bezerra sela apoio do MDB a Neri ao senado

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA