Brasil

Primeira morte no Brasil pela variante Ômicron é registrada em Goiás

De acordo com a prefeitura de Aparecida de Goiânia, vítima era homem de 68 anos portador de doença pulmonar crônica, hipertenso, que já tinha se vacinado com três doses

Publicados

Brasil

A cidade de Aparecida de Goiânia, em Goiás, registrou a primeira morte pela variante Ômicron do Coronavírus, nesta quinta-feira (6).

De acordo com a prefeitura, a vítima era um homem de 68 anos, hipertenso e portador de “doença pulmonar obstrutiva crônica”, que estava internado em um hospital local.

“O paciente era contactante de um caso que a pasta já havia confirmado como infecção pela variante. O homem estava vacinado com três doses”, informou a prefeitura em nota.

A Secretaria de Saúde da cidade informou que a confirmação da morte acontece dez dias após a declaração de transmissão comunitária da cepa na cidade.

“Nós perdemos um paciente vacinado, mas que tinha problemas crônicos de saúde, que são importantes fatores de risco da covid-19. Infelizmente, ele não resistiu. Uma vida perdida em meio a milhares salvas pela imunização”, declarou o secretário de Saúde de Aparecida, Alessandro Magalhães.

O prefeito da cidade, Gustavo Mendanha, lamentou a morte e disse que determinou a ampliação do Programa de Vigilância Genômica para sequenciamento das amostras positivas de Covid-19.

Leia Também:  UFMT oferta 1614 vagas remanescentes para candidatos que fizeram Enem desde 2016

Aparecida de Goiânia já registrou 55 casos da Ômicron – a variante tem prevalência de 93,5% na cidade. Os primeiros casos na cidade foram descobertos no dia 12 de dezembro.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

Bancada do Podemos se rebela contra candidatura de Moro e ameaça desfiliação

Dos onze parlamentares do partido, ao menos sete não querem a candidatura de Moro à Presidência; os motivos vão desde os arranjos regionais à divisão do fundo eleitoral

Publicados

em

A pré-candidatura de Sergio Moro abriu uma crise na bancada federal do Podemos. Além do perfil individualista do ex-juiz — que toma decisões sozinho e tem agendado conversas consideradas atrapalhadas por aliados — a bancada de deputados federais do partido pressiona para que ele migre para o União Brasil ou candidate ao Senado.

Dos onze parlamentares do partido, ao menos sete não querem a candidatura de Moro à Presidência pelo Podemos.

Eles alegam que a campanha majoritária irá dizimar a bancada federal. Os motivos vão desde os arranjos regionais à divisão do fundo eleitoral de 229 milhões. Pesam ainda o desempenho mediano de Moro nas pesquisas e o pouco tempo de televisão

Diante disso, deputados federais avisaram a Moro e a presidente do partido, Renata Abreu, que irão se desfiliar caso uma solução não seja encontrada.

Eles defendem dois caminhos:No primeiro, o Podemos abençoa de vez a candidatura de Moro ao Senado pelo Paraná – tornando essa uma decisão do partido e não apenas de Álvaro Dias, que também pode disputar a vaga.

Leia Também:  Casamento de Michelle e Jair Bolsonaro atravessa crise

 

No segundo, o ex-juiz se filia ao União Brasil – fusão do PSL com DEM – , que conta com 1 bilhão em fundo partidário. Caso ele se filie ao UB, o Podemos indica a presidente Renata Abreu a vice na chapa de Moro

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA