Economia

Prefeito Fabio Faria atribui crescimento econômico de Canarana ao Agronegocio

Cultura de gergelim e algodão que se implantou nos últimos anos, em Canarana, somou-se a outras produções já consolidadas como a do milho e da soja

Publicados

Economia

A expansão de atividades ligadas ao agronegócio levou Canarana a entrar na lista de municípios de Mato Grosso que tiveram aumento de até 900% no Produto Interno Bruto (PIB) local, conforme dados do IBGE de 2018. Em entrevista ao Semana7, o prefeito Fábio Faria (DEM) comentou sobre o desenvolvimento econômico da cidade.

Segundo o gestor, a cultura de gergelim e algodão que se implantou nos últimos anos, em Canarana, somou-se a outras produções já consolidadas como a do milho e da soja.

“Nós cobrimos um evento no Rio de Janeiro, um encontro mundial de compradores de pulses (gergelim, grão-de-bico, milho pipoca) e ali participavam mais de 49 países. A prefeitura conseguiu que o município fosse apresentado a esse público. […] E foi onde convencemos várias empresas a virem para Canarana”, explicou Fábio.

Ainda de acordo com o prefeito, há previsão de que nos próximos anos sejam construídas na cidade fábricas de óleo de gergelim e do caroço de algodão.

Para Fábio, o crescimento de Canarana pode ser observado pelo ‘boom imobiliário’ na cidade.

Leia Também:  Motorista é preso em MT transportando 160 km de cloridrato de cocaína e pasta base

Todo dia vemos gente chegando, é muito difícil achar uma casa para alugar aqui. São casas sendo construídas todos os dias. Uma empresa construiu mais de 400 casas nos últimos anos e estão todas ocupadas. Há mais casas sendo construídas e vendidas, fora os loteamentos particulares

“Estamos em um momento diferente, muito melhor do que quando assumimos. Claro que é toda uma conjuntura, mas quando aproveitamos os bons momentos e damos um empurrão, as coisas acontecem. […] É um momento muito diferente e fico muito satisfeito em poder participar disso”, finalizou o prefeito.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Conta de luz em Goiás fica mais cara a partir de hoje (22), residencial aumentou em 14,45%, já a indústrias 14,21%

Reajuste na conta de luz é motivado pela redução do nível dos reservatórios das hidrelétricas

Publicados

em

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou reajuste na conta de luz em Goiás. O percentual médio de aumento é de 16,45%. Para os consumidores residenciais, que são a maioria, o incremento é de 16,37%. Para o consumidor industrial, é de 14,21%.

Os consumidores residenciais que pagavam R$ 0,547/kWh na conta de luz passam a pagar R$ 0,637/kWh. O reajuste é motivado principalmente pela redução do nível dos reservatórios das hidrelétricas.

A Enel Goiás explica as razões para o aumento de 16,45% na conta de luz: “13,14% são para cobrir os custos com a compra de energia, encargos setoriais e transmissão, e 3,31% destinam-se à distribuidora para manutenção e investimento na rede”.

A distribuidora em Goiás informou ainda que o reajuste para os consumidores residenciais, que representam mais de 85% de todos os clientes da Enel Goiás, foi de 16,37%. Portanto, aqueles que até então pagavam R$ 0,547/kWh na conta de energia, a partir do dia 22 de outubro passarão a pagar R$ 0,637/kWh. “Para os clientes de média e alta tensão, em geral indústrias e comércios de grande porte, o reajuste médio será de 14,21%”, destacou.

Baixo nível dos reservatórios motivou reajuste na conta de luz em Goiás

A Enel Goiás declarou que o reajuste aprovado pela Aneel nesta quinta-feira “foi fortemente impactado pela crise hídrica enfrentada pelo país”. Segundo a distribuidora, em razão da queda drástica dos níveis dos reservatórios, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) precisou acionar mais usinas termelétricas, que têm um custo de geração mais caro, o que impactou as tarifas.

“A composição do reajuste foi, portanto, fortemente impactada pela crise hídrica enfrentada pelo país, com reflexo direto nos custos de compra de energia produzida pelos geradores, e pelos encargos setoriais. Importante destacar que o processo de reajuste iniciou com percentual de 24,4% e, após medidas implementadas pelo regulador, chegou-se ao percentual de reajuste médio aprovado”, finalizou a Enel.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  MPE sugere que Estado venda terras devolutas para cobrir rombo da previdência
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA