a

Educação

Educadores denunciam ônibus escolar precário e negação de direitos em Ribeirão Cascalheira

A reunião na escola contou com a presença massiva da comunidade. “Nós ficamos felizes em saber que durante as falas, muitos pais de estudantes demonstraram apoio incisivo sobre nossas pautas”, disse a presidente da Subsede, Ana Lúcia Antônia da Silva.

Publicados

Educação

Os trabalhadores da rede pública de ensino no município de Ribeirão Cascalheira, estiveram reunidos com a comunidade escolar (professores, técnicos, apoios, estudantes e pais de estudantes), na terça-feira (26) no pátio da Escola Antonieta Melges Camargo, para debater os inúmeros problemas que atingem o ensino público na região. Entre deles, as condições precárias dos ônibus que fazem o transporte dos alunos. Segundo a presidente da subsede do Sintep no município, Ana Lúcia Antônia da Silva, os veículos estão em estado preocupante.

“É direito do estudante ter um transporte escolar de qualidade; mas nesse caso, o agravante vai muito além de questão de conforto. Sabemos que um veículo em condições ruins são um risco iminente de acidentes, por isso, na nossa pauta de reivindicações está a renovação ou a manutenção adequada desses ônibus”, disse. “Já houve vezes em que estudantes ficaram cerca de uma semana sem ir à escola porque o ônibus que faz o transporte estava quebrado. É um prejuízo inestimável para o processo de ensino-aprendizagem”, frisou a presidente do Sintep no município.

Leia Também:  Financiamento para casa própria cresce mais de 100% em MT

Outro ponto debatido e apresentado durante a reunião, foi a questão do reajuste salarial da categoria, para equiparação da remuneração inicial da carreira ao Piso Nacional. Para isso, a prefeitura precisa implementar o reajuste já definido pelo governo, de 33,24%. “Até o momento não tivemos esse, que é um direito constitucional, de termos nossa remuneração reajustada e não é por falta de disponibilidade de recursos. Já protocolamos ofício junto ao executivo, mas não tivemos nenhum avanço nessa questão”, criticou a sindicalista.

SINTEP-MT/SUBSEDE RIBEIRÃO CASCALHEIRA

Sintep-MT/Subsede Ribeirão Cascalheira

A reunião na escola contou com a presença massiva da comunidade. “Nós ficamos felizes em saber que durante as falas, muitos pais de estudantes demonstraram apoio incisivo sobre nossas pautas. Agora, falta a prefeita Luzia Brandão nos ouvir e cumprir com a legislação, tanto no que diz respeito ao reajuste salarial, quanto à promoção de condições dignas para a estrutura escolar como um todo, o que inclui um transporte de qualidade”, destacou Ana.

Temas como a eleição direta para gestores (diretores e coordenadores escolares) e a realização de Concurso Público urgente também integraram a pauta dos trabalhadores. “Para se ter uma ideia, aqui no município, apenas nove professores são concursados, os demais, são todos contratados. O concurso é uma forma de assegurar direitos e por isso defendemos que seja feito um novo certame para preencher essa demanda. Isso sem contar os cargos dentro das diversas secretarias”, disse.

Durante a reunião, os trabalhadores se articularam para defender os direitos da categoria. “Nós sempre buscamos o caminho do diálogo, porém, infelizmente não temos sido atendidos em nossas reivindicações, que são todas legítimas. Inicialmente, a prefeita Luzia fez a proposta de reajustar apenas 10% dos salários e, após isso, concordou em conceder os 33,24%, porém, excluindo os funcionários de escola, o que nós não podemos aceitar, já que somos uma categoria de educadores e composta por professores, técnicos e apoios”, finalizou.

Na quinta-feira (28), a prefeitura convocou uma audiência onde irá tratar sobre a questão do reajuste junto à categoria e comunidade escolar em geral.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Educação

IFMT firma parceria com MEC e Seduc e abre inscrições para cursos de qualificação em 4 municípios do Araguaia

Publicados

em

O Instituto Federal de Mato Grosso, por meio de parceria com SETEC-MEC e SEDUC-MT, abre inscrições para Cursos de Formação Inicial e Continuada para os Municípios de Canarana-MT, em Água Boa-MT, Nova Nazaré-MT, Querência-MT e Paranatinga-MT, são Cursos nas áreas de Agrárias, Gestão e Negócios e Linguagem.

São 700 vagas distribuídas nas 5 cidades.

Os Cursos fazem parte de um Projeto Piloto que tem como objetivos, o fomento do Itinerário Formativo ept na rede pública de ensino e atender os estudantes das redes públicas de ensino a se aproximarem do mundo do trabalho.

A oferta é financiada por meio de uma ação conjunta entre o IFMT, SETEC-MEC e FNDE.
Entre os benefícios para os estudantes estão, uniforme escolar, material de apoio escolar, livro técnico e bolsa de apoio a permanência.
As principais ações dos cursos são: a metodologia voltada às práticas profissionais, a parceria com as escolas públicas, a execução do curso obedecendo o planejamento pedagógico da escola e a concomitância com o tempo escola do estudante.

As inscrições são gratuitas, estarão abertas até o próximo dia 19 de junho de 2022 e estão disponíveis para os 5 polos por meio do site: canarana.ifmt.edu.br

Leia Também:  Araguaiana comemora 35 anos com ações do Governo do Estado em infraestrutura e assistência social

São condições para inscrição:
Ser aluno matriculado na rede pública de ensino e estar cursando a partir do 9⁰ ano do ensino fundamental.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA