Eleições

Estado pode fechar contrato de “naming rights” de R$ 8 milhões para Arena Pantanal

Do montante, R$ 6 milhões seriam utilizados para manutenção anual do estádio e o restante para ações no entorno da Arena

Publicados

Eleições

A Arena Pantanal está em alta. Após importantes reformas para a temporada da Série A do Brasileirão, o estádio recebeu elogios do coordenador da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Carlos Alves, que o classificou como um dos mais bem preparados do campeonato.

Aproveitando a boa fase da Arena Pantanal, o secretário de Cultura Esporte e Lazer de Mato Grosso, Beto Dois a Um,  afirmou que há negociações em curso pelo “naming rights” (direitos de nome, do inglês) da Arena Pantanal que podem render contrato de até R$ 8 milhões.

O secretário explicou que cerca de R$ 6 milhões seriam utilizados para manutenção anual do estádio, cobrindo assim todo seu custo operacional, enquanto o restante do valor seria investido em ações no entorno da Arena Pantanal voltadas para a população cuiabana.

“Agora, começa a segunda etapa, uma busca de parcerias para fazer o naming rights. Naming rights é um expediente que é utilizado em todo Brasil nas grandes arenas para diminuir os custos operacionais dos gestores das arenas”, disse o secretário de Estado.

Leia Também:  Dois apostadores de MT faturam R$ 70 mil na Mega Sena

“Acho que em Mato Grosso tem uma possibilidade gigante, nós temos indústrias e temos um agro muito forte. Sempre imaginei que o agro seria o primeiro interessado, mas antes mesmo de finalizarmos tivemos algumas conversas com a Nissan”, completou Beto Dois a Um.

Sobre o diálogo a respeito das eventuais parcerias, o secretário adiantou que há uma tratativa em curso com a Nissan – que é uma multinacional gigante do setor automobilístico. Além disso, o gestor adiantou que há “conversas um pouco mais avançadas” com ao menos duas empresas ligadas ao agronegócio.

“Acho que seria a forma mais inteligente de utilização. Nós temos um estado importante, o maior produtor do agro do mundo. Somos uma referência em relação a isso. Acho que as possibilidades são inúmeras como o Cuiabá na Série A. Então, acho que qualquer empresa que esteja buscando se conectar, se relacionar com o Centro-Oeste, com Mato Grosso, o naming rights é uma opção”, ponderou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Eleições

TRE anuncia nova eleição em Torixoréu e “mandato” de prefeito interino esta com os dias contados

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE) coloca fim na novela e insegurança política e duradoura em Torixoréu e mais dois municípios do Estado, são eles; Matupá e Acorizal. O tribunal marcou nova eleição para prefeito no dia 1º de agosto (Domingo).

Publicados

em

Após três prefeitos serem impedidos de exercer o cargo, a Justiça Eleitoral de Mato Grosso confirmou que a realização das Eleições Suplementares para as prefeituras dos municípios de Acorizal, Torixoréu e Matupá que ocorrerá no dia 1º de agosto.

A decisão ocorreu na manhã desta terça-feira (25.05) durante a sessão plenária da corte, nesta eleição irá votar apenas os eleitores que foram inscritos até 3 de março de 2021, a diplomação do prefeito eleito será realizada no dia 3 de setembro.

Os prefeitos de Acorizal, Torixoréu e Matupá foram impedidos de exercer o cargo por improbidade administrativa e governo de grupo familiar por mais de dois mandatos.
Em Acorizal, o então prefeito Meraldo Sá foi cassado em dezembro do ano passado, isso porque Meraldo havia sido condenado em 2018 por improbidade administrativa em uma ação do MPE que o acusou de ter realizado despesas não autorizadas quando era vereador em Acorizal, entre 2001 e 2012.

Segundo o MP, foram realizadas despesas de pagamento de transporte escolar e jardinagem sem qualquer ligação com os serviços da Câmara de Acorizal.

No Vale do Araguaia, em Torixoréu, Inês Moraes Mesquita Coelho, candidata reeleita, foi impedida de assumir o cargo porque a justiça não permite mais de dois mandatos seguidos de um mesmo grupo familiar.

Leia Também:  CNJ volta atrás e autoriza MT comprar avião de R$ 8,5 mi

O marido dela, Odoni Mesquita, era prefeito da cidade entre 2013 e 2016, depois disso, ela foi eleita em 2016 e, posteriormente, em 2020. Odoni faleceu recentemente vítima da Covid-19.

Na última quinta-feira (20), o TSE definiu pela cassação do mandato do prefeito de Matupá, a 696 km de Cuiabá, Fernando Zafonatto (DEM), e do vice dele, Bruno Mena.

Zafonatto estaria inelegível para disputar a eleição, devido a uma condenação de improbidade administrativa por direcionamento de licitação.

Em Torixoréu existe uma incógnita, por alguns dias o vereador e prefeito interino Thiago Timo (PSB) ajudava a sustentar a candidatura do seu companheiro de grupo Admilson Queiroz (PP), mas após tomar gosto pelo poder e munido de vaidade pessoal abandonou o barco e deverá seguir carreira solo e disputar a eleição contra seu próprio grupo.

A oposição deve manter a candidatura do engenheiro agrônomo e produtor, Jonnes Saggin (PL), filho do ex-deputado estadual e ex-prefeito Lincoln Saggim.

De acordo apuramos o prefeito interino esta sendo acusado de trair seu próprio grupo político ate então liderado pelo falecido ex-prefeito Odoni Mesquita.

Thiago Timo também responde na justiça por outros crimes contraídos na sua curta carreira política, recentemente ele recebeu a visita inesperada da Politec e Polícia Civil a mando do MPE que apura o uso indevido de maquinários da prefeitura em terra particular supostamente em troca de votos.

Leia Também:  Ex-presidente confirma que Araguaia disputará o Mato-grossense de 2017

SOBRE A NOVA ELEIÇÃO

Pelo calendário aprovado, as convenções partidárias devem ser realizadas entre os dias 15 e 17 de junho e podem ser realizadas presencialmente ou virtualmente, sendo que o candidato escolhido em convenção deve afastar-se de eventual cargo público ou cargo que acarrete inelegibilidade no dia útil seguinte à convenção, o mesmo se aplicando na hipótese de substituição de candidato.

Cada partido deve registrar a ata da convenção, assim como a lista dos presentes, no Módulo Externo do Sistema de Candidaturas (CANDex), sendo que devem ser transmitidas até o dia seguinte ao da realização da convenção.

Os documentos serão publicados na página de Divulgação de Candidaturas e de Prestação de Contas Eleitorais no site do TRE-MT.

Os candidatos que concorrem a esta eleição suplementar devem prestar suas contas no máximo até o dia 06 de agosto. Já as zonas eleitorais terão o dia 31 de agosto como último dia para a publicação da decisão que julgou as contas dos candidatos eleitos.

Fonte: Da Redação com informações do G1/MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA