GERAL

Ao invés de fazerem “arminha” em protesto contra o aumento dos combustíveis motoristas param rodovia em poio a Bolsonaro

Hoje pela manhã (8), grupos interditavam pontos em Várzea Grande, Rondonópolis, Pedra Preta, Confresa e Lucas de Rio Verde

Publicados

GERAL

Após o protesto de 7 de setembro, manifestantes em apoio ao governo de Jair Bolsonaro (sem partido) decidiram manter o bloqueio de veículos de carga que não estejam transportando cargas vivas ou perecíveis em diferentes pontos de Mato Grosso.  Hoje pela manhã (8), grupos interditavam pontos em Várzea Grande, Rondonópolis, Pedra Preta, Confresa e Lucas de Rio Verde.

De acordo com a Concessionária Rota do Oeste, responsável pelo trecho de Rondonópolis (210 km ao Sul de Cuiabá), até às 07h10 de quarta-feira havia registro de um ponto com manifestação, no km 117, da BR-163. Por lá, os manifestantes permitiam a passagem de automóveis, ambulâncias, ônibus e veículos de cargas vivas e perecíveis.

Já em Pedra Preta (238 Km ao Sul), os motoristas eram orientados a estacionarem no pátio do Posto Locomotiva devido a interdição em Rondonópolis. Conforme Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Confresa (1.060 km ao Nordeste da Capital) também havia uma interdição parcial na BR-158, sendo que apenas os veículos de carga eram proibidos de passar.

Leia Também:  Governo de MT realiza maior entrega da história da agricultura familiar: R$ 106 milhões em equipamentos

Em Várzea Grande, o protesto ocorreu no m 517 da BR-070, nas proximidades do Posto Miriam. E, em Lucas do Rio Verde (354 km ao Norte da Capital), houve bloqueio nos dois sentidos da BR-163, sendo liberada passagem de ambulância e veículos de carga com produtos perecíveis. No trecho do km 687, o fluxo de carros era lento e seguindo por desvios.

No dia 07 de setembro, Dia da Independência do Brasil, foram registrados ao menos 12 pontos de bloqueios nas rodovias federais de Mato Grosso. As manifestações a favor do presidente, convocadas pelo próprio Bolsonaro, aconteceram em meio a embates do governo com o Supremo Tribunal Federal (STF).

Em diferentes cidades do país, os protestos foram pautados por ameaças antidemocráticas. Os participantes carregaram faixas contra o Supremo, contra o Congresso e pedidos de intervenção militar.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Empresas buscam contratar 544 profissionais em Lucas do Rio Verde e Nova Mutum

Publicados

em

As 544 vagas estão sendo ofertadas para profissionais com ensino fundamental, médio, técnico e superior por empresas de diversos segmentos, em Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, que juntos formam uma população com mais de 114,4 mil habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os salários podem chegar até R$ 4,2 mil.

Somente em Lucas do Rio Verde, são 337 vagas de emprego nas áreas de técnico em segurança do trabalho, manobrista, técnico de pesquisa, cozinheiro, auxiliar de cozinha, servente de obras, consultor técnico, auxiliar de limpeza, administrador rural, administrador, vendedor interno entre outras.

Já em Nova Mutum, são 207 oportunidades para soldador, comprador, operador de munck, motorista, auxiliar administrativo, pintor industrial, analista de compras, técnico em segurança do trabalho, comprador, auxiliar de serviços gerais, gerente industrial.

Os candidatos devem comparecer no Sistema Nacional de Emprego.

Conforme Só Notícias já informou, uma empresa venceu a chamada pública para construir a ferrovia de Rondonópolis a Cuiabá-Mutum-Lucas, cerca de 730 km, investirá R$ 12 bilhões com previsão de concluir em 2028 a extensão até Lucas do Rio Verde para escoamento de milho, soja, algodão, carne e demais produtos.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Estudo indica possível concessão de 1.400 km de rodovias e de aeroportos
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA