a

GERAL

Número de vítimas de estelionatos pela internet aumenta em Mato Grosso

Entre os principais registros estão: golpes pessoais, aluguel, cobrança indevida, leilão e a clonagem do whatsapp

Publicados

GERAL

Cada vez mais atividades do cotidiano são realizadas pela internet e a dependência desses serviços aumenta os riscos de golpe online. Em Mato Grosso, no primeiro semestre deste ano, os casos de estelionato aumentaram 19% em comparação ao mesmo período do ano passado. Houve 7.491 casos registrados entre janeiro e junho de 2021 e 6.309 no mesmo período de 2020.

O levantamento foi feito pela Superintendência do Observatório de Segurança da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Uma das iniciativas mais comuns dentro do estelionato são os golpes pessoais, aluguel, cobrança indevida e leilão, que representam 28% dos crimes de estelionato.

Outra prática muito comum, é a clonagem do WhatsApp, responsável por 27% das ocorrências registradas em Mato Grosso. Para isso, as pessoas precisam ficar atentas, proteger os dados e desconfiar de qualquer mensagem que chegue pedindo um código. Os criminosos enganam os usuários para obter esse código de verificação. Dessa forma, quando fornecido, o acesso a conta do WhatsApp da vítima fica livre para a aplicação de golpes.

As demais ocorrências registradas em Mato Grosso neste primeiro semestre do ano são: golpes por sites de comércio eletrônico e redes sociais (21%);  transação financeira sem autorização do titular, como o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), auxílio emergencial ou empréstimo (12%); boleto e código de barra falso (4%); cartão clonado (4%); SMS ou Link falso que quando acessado furta os dados da vítima (2%); outros golpes (cheque clonado, depósito com envelope vazio, documento falso), com 2%; e golpe do motoboy (1%).

Leia Também:  Mortos em confronto com a PM em Piranhas pertenciam a uma facção criminosa; leia os nomes

Em Cuiabá, foram 1.827 registros de estelionato entre janeiro e junho de 2021. Houve uma diminuição de 2%, quando comparado com o mesmo período de 2020, quando foram registradas 1.861 ocorrências.

De acordo com a superintendente do Observatório de Segurança Pública, Tatiana Pilger, outro fator que contribuiu para o aumento do estelionato foi à pandemia, visto que as pessoas não saiam de casa e todas as transações eram feitas pela internet. Para isso ela faz um alerta.

“Com a redução da circulação das pessoas, e com o aumento das transações financeiras pela internet, e em muitas ocasiões pelo WhatsApp, o crime acabou migrando, conseguimos observar que houve uma redução dos roubos em geral, o furto e roubo de veículos diminuíram, porém, o estelionato aumentou. Para isso, é preciso ficar em alerta e proteger os dados, não transferir dinheiro sem antes checar com a pessoa, não fazer pagamento sem confirmar o destinatário do boleto, assim como, ter cuidados em sites e nas redes sociais”, pontuou a superintendente.

Como se cuidar

Leia Também:  Brasileiro viaja o país fotografando mulheres nuas em belas paisagens

O primeiro passo é nunca passar os dados pessoais a ninguém, assim como não repassar nenhum código fornecido por SMS e nem qualquer outra informação que seja suspeita. Desconfie de preços muito abaixo do valor de mercado.

Outra alternativa para se evitar cair nos golpes, é ter muito cuidado com e-mails de promoções que possuam links. Ao receber um e-mail não solicitado ou de um site, no qual não esteja cadastrado para receber promoções, é importante verificar se realmente se trata de uma empresa confiável.

No caso de aplicativos como WhatsApp e Instagram, que costumam ser clonados, é importante adotar a autenticação de dois fatores ou de duas etapas. É um procedimento simples que, se ativado, exigirá, além do código de ativação, mais uma senha para acesso da rede social em outro aparelho ou na web

Onde denunciar

A vítima que cair neste golpe de estelionato, pode recorrer à Delegacia Especializada de Estelionato e outras fraudes, localizada no interior da 3ª Delegacia de Polícia, na avenida Dante Martins de Oliveira, s/n, bairro Planalto, em Cuiabá, ou por meio do telefone (65) 3901-4246.

Ou ainda se preferir o cidadão pode registrar a ocorrência pela delegacia virtual pelo site: https://portal.sesp.mt.gov.br/delegacia-web/pages/home.seam. Outra alternativa é site: e-denuncias: https://portal2.sesp.mt.gov.br/e-denuncias.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Matéria do Notícia dos Municípios ajuda “derrubar” secretário de saúde de Alto Boa Vista por suposta negligência

Uma matéria exclusiva editada pelo Noticia dos Municípios e que gerou grande repercussão nas redes sociais em todo o Estado, em especial no Vale do Araguaia, a partir da noite de domingo (19) assinada pelo jornalista Borges Netão do Araguaia, de Barra do Garças, foi o assunto mais debatido nas últimas 24 horas e acabou contribuindo com a queda do secretário municipal de Saúde Reginaldo Enfermeiro.

Publicados

em

População se revolta e protesta em frente a Prefeitura pela morte da criança.

Trata-se de uma denúncia feita por internautas e pela própria família da pequena Maria Allyce a redação do conceituado veículo de comunicação da região do Araguaia que relatou o sofrimento e consequentemente a morte da referida criança que tinha apenas 4 meses de vida.

Allyce veio a óbito por suposta negligência principalmente por parte do secretário de saúde do município de Alto Boa Vista, popularmente conhecido por Reginaldo Enfermeiro.

A repercussão foi tamanha que o prefeito de Alto Boa Vista Zezinho Maranhão que estava em momento de lazer com a família retornou para a cidade e convocou uma reunião de emergência com o “alto clero” da saúde local para a segunda-feira (20) às 8.00h para avaliar o assunto.

A reunião serviu para juntar os cacos da gestão e tomadas de decisões administrativas, entre elas a que culminou com o afastamento imediato do titular da pasta, uma fonte segura informou à nossa redação que ele deverá ser exonerado definitivamente do cargo a qualquer momento.

Trocando em miúdos, a “canetada” do prefeito Zezinho Maranhão possivelmente fez o secretário Reginaldo Enfermeiro ‘baixar o tom de voz’ após o protesto da população e a repercussão da notícia, da mesma forma que ele exigiu que os familiares da vítima baixassem o tom de voz apenas por cobrar seus direitos.


População saem às ruas cobrando resposta do prefeito Zezinho Maranhão.

Paralelo a denúncia do Notícia dos Municípios, ainda na segunda-feira (20) pela manhã em frente à Prefeitura da cidade ocorreu um ato de protesto liderado pelos pais da criança e dezenas de populares, que em palavras de ordem pediam justiça sobre o caso e o afastamento imediato do secretário, sendo acatado pelo chefe do executivo.

Leia Também:  Fichas sujas’ estão vetados de participar do torneio internacional de pesca

As dores sofridas e a morte da criança repercutiram em toda a cidade e impulsionou a população se mobilizar em solidariedade à família enlutada através das redes sociais, que acabou obtendo o apoio da Câmara Municipal, sob o comando do vereador Sérvulo Augusto Neto, que preside aquele parlamento.

Após os manifestantes serem recebidos democraticamente no plenário do legislativo, os parlamentares oficialmente pediram explicações ao prefeito Zezinho Maranhão, a ação dos vereadores poderá resultar na imediata instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar a suposta negligência por parte do secretário Reginaldo.

Um advogado constituído pela família está acompanhando o caso passo  a passo e deve provocar o MP para se manifestar, investigar e apurar as denúncias.

Durante o protesto pelas ruas da cidade a população apresentava cartazes e faixas com críticas e palavras de ordem direcionadas a gestão, em especial ao então secretário de saúde de Alto Boa Vista contra a morte da criança supostamente vítima de negligência, nos cartazes alguns pediam respeito a vida, outros o cumprimento do Artigo 196 da constituição federal que reza que a saúde é direito de todos e dever do estado.


Cartaz refere a pescaria como prioridade do secretário

Outro cartaz que chamou bastante atenção da população foi de uma frase dita pelo próprio secretário Reginaldo para a família no momento de dor “nasci para pescar, trabalho forçado”’, a atitude do então secretário causou revolta na população, um dos fatores que também pode ter contribuído com o seu afastamento.

Segundo informações Reginaldo Enfermeiro é um grande amante da natureza e obcecado por pescarias em rios da região, sempre ladeado de grupos de amigos e de uma boa farra regada a boas bebidas e muita música, principalmente nos feriados e finais de semana.

Leia Também:  Mais um frigorífico é reaberto no estado com investimentos de R$ 20 milhões

ENTENDA O CASO

Após o secretário de saúde do município negar uma ambulância para transportar a criança até Barra do Garças de forma correta e eficiente para ser assistida por uma equipe médica mais qualificada e ser submetida a exames mais sofisticados para diagnosticar a doença, os pais se apegaram a amigos e conseguiu um veículo particular para encaminhar a criança, que não resistiu a tanta dor devido à gravidade da doença vindo a óbito a menos de 15 km de Barra do Garças na BR-158.

Em entrevista ao Notícia dos Municípios, a mãe da criança Poliana Costa Barros (24 anos) que também é mais de mais dois filhos menores disse que a pequena Maria Allyce de apenas 4 meses de vida vinha sofrendo desde o dia 17/05 com fortes dores, acompanhadas de vômitos, diarreia e muita febre, ela chegou a ser atendida algumas vezes no PSF de Alto Boa Vista, mas foi mandada de volta para casa para continuar o tratamento assistida pela família em domicílio.

Alguns dias depois ela volta a passar mal e é encaminhada para o Hospital Regional de São Felix do Araguaia, onde foi prontamente atendida pela equipe médica e ficou internada por três dias após ser diagnosticada com grave problema de desidratação e apresentando muita infecção de intestino.


Voluntários em protesto pelas ruas empunhando seus cartazes com críticas.

VIDEO DA REUNIÃO NA CÂMARA MUNICIPAL

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA