Infratrutura

Metamat contará com dois equipamentos próprios para perfuração de poços artesianos

Ao todo serão investidos R$ 6,1 milhões, com recursos do Governo do Estado e de emendas parlamentares

Publicados

Infratrutura

A Companhia Mato-grossense de Mineração (METAMAT) irá dispor de duas perfuratrizes próprias a partir de janeiro de 2022. Os equipamentos, de alto custo, utilizados na perfuração de poços artesianos, serão adquiridos graças à liberação de emendas parlamentares e a contrapartida do Governo do Estado. Ao todo serão investidos R$ 6,1 milhões.

De acordo com o presidente da Metamat, Juliano Jorge Boraczynski, esse é um grande avanço para o setor de mineração do Estado, que se tornou possível com as emendas dos senadores Jayme Campos e Wellington Fagundes. “Agradeço muito o empenho dos senadores Jayme e Wellington por destinar recursos na ordem de mais de R$ 4 milhões para a Companhia. Assim como, ao governador pela contrapartida de R$ 1,5 milhão que injetou na Metamat. Ter os nossos próprios equipamentos vai dar uma acelerada na perfuração de poços artesianos. Também vamos reduzir o tempo de espera das solicitações, o custo com contratação de maquinário e pessoal e teremos mais estrutura”, ressalta.

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda, enfatiza a importância dos recursos direcionados à Metamat. “Nós, enquanto Governo do Estado, agradecemos muito o apoio da nossa bancada pelos recursos destinados à Metamat. Eles serão usados para comprar perfuratrizes que vão ajudar quem mais precisa, àqueles que necessitam de água. Obrigada senador Jayme e Wellington, esses recursos vão propiciar o desenvolvimento econômico do Estado”, pontua.

Leia Também:  DNIT executa 85% das obras do Contorno de Barra do Garças

Atualmente a demanda de poços artesianos ao Estado chega a 900 pedidos.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Infratrutura

Ferrovias de MT recebem isenção de R$ 468 milhões

Publicados

em

Duas ferrovias que conectam Mato Grosso à malha ferroviária nacional foram enquadradas no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento de Infraestrutura (Reidi). Rumo e Valec obtiveram desoneração de R$ 468 milhões para projetos que somam R$ 4,5 bilhões de investimentos.

O incentivo fiscal concedido à Rumo para o trecho ferroviário em Mato Grosso garante desoneração de R$ 178,4 milhões para aquisição de até 45 locomotivas e 2.142 vagões para transporte de grãos, farelo, açúcar e fertilizantes. O aporte previsto é de R$ 1,9 bilhão pela Rumo Malha Norte (RMN).

A Valec, responsável pela Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico) no trecho de 383 quilômetros entre os municípios de Mara Rosa (GO) e Água Boa (MT), também conta com desoneração de R$ 289,5 milhões para implantação de 22 pátios de cruzamento, um pátio de formação de trens em Mara Rosa e dois pátios de carga e descarga, sendo um em Nova Crixás (GO) e outro em Água Boa. O investimento programado é de R$ 2,5 bilhões.

Leia Também:  Governo realiza abertura de propostas para implantação da 1ª ferrovia estadual em MT

Sete projetos do setor ferroviário no país foram incluídos no Reidi em 2021, totalizando R$ 12,8 bilhões de investimento e R$ 700 milhões em desoneração, informa o Ministério da Infraestrutura (Minfra). Houve ainda habilitação de 3 projetos que irão receber R$ 3,7 bilhões em emissão de debêntures incentivadas nos próximos dois anos.

Criado pela lei federal nº 11.488, o Reidi possibilita a desoneração de impostos para projetos estruturantes, como ferrovias, sistemas de metrô e de veículos leve sobre trilhos (VLT). O incentivo fiscal do regime consiste na suspensão da incidência das contribuições para PIS (1,65%) e Cofins (7,6%) sobre as aquisições de máquinas, aparelhos, instrumentos e equipamentos novos, prestação de serviços e materiais de construção para utilização ou incorporação destinadas ao ativo imobilizado das empresas habilitadas para os projetos, detalha o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA