a

Internacional

Suspeito diz à polícia que esquartejou e enterrou corpos de Dom e Bruno

Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado, e Oseney da Costa de Oliveira, o Dos Santos, haviam sido presos durante investigações sobre desaparecimento do indigenista brasileiro e do jornalista britânico, em 5 de junho. Segundo fonte da PF, Pereira e Phillips foram mortos a tiros e depois tiveram os corpos queimados e enterrados.

Publicados

Internacional

O pescador Amarildo da Costa Oliveira, o “Pelado”, 41, afirmou à Polícia Federal que esquartejou e enterrou os corpos do indigenista Bruno Araújo Pereira, servidor licenciado da Funai (Fundação Nacional do Índio), e do jornalista Dom Phillips, correspondente do jornal The Guardian.

Em depoimento recente (entre ontem e hoje), Amarildo negou ter atirado na dupla, segundo fonte da PF ouvida pelo UOL. O pescador disse aos policiais que recebeu os corpos queimados, mas de forma que seria possível identificá-los.

Nesse depoimento, Amarildo afirmou que uma segunda pessoa o ajudou a esquartejar e a enterrar os corpos. O pescador ainda acusou uma terceira pessoa de disparar contra o indigenista e o repórter —as identidades dos suspeitos apontados por Amarildo não foram reveladas à reportagem. As buscas continuam na Amazônia.

A Polícia Federal do Amazonas levou hoje Amarildo ao local das buscas. Uma embarcação com o suspeito e policiais subiu o rio Itaquaí, percorrido por Bruno e Dom quando foram vistos pela última vez no dia 5 no trajeto entre a comunidade ribeirinha São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte (AM).

Leia Também:  Lava Jato é condenado em R$ 42 mil por veículo roubado em MT

Até as 17h (horário de Brasília), os policiais federais continuavam na mata com Amarildo em busca do local onde ele diz ter enterrado os corpos.

Em nota, o comitê de crise coordenado pela Polícia Federal disse que “há previsão de conclusão de parte das análises periciais ainda nesta data [hoje]”.

A Polícia Federal prendeu ontem Oseney da Costa de Oliveira, 41, o segundo suspeito de envolvimento no crime. Ele é irmão de Amarildo, que foi preso em flagrante no dia 7 por porte de munição de uso restrito.

Após agentes encontrarem vestígios de sangue no seu barco, Amarildo teve a prisão temporária decretada por suspeita de envolvimento no desaparecimento. O material está sob análise de peritos em Brasília.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Internacional

19 crianças e professora são assassinadas a tiros em escola nos EUA

O responsável pelo ataque, um homem de 18 anos, morreu no local.

Publicados

em

Um tiroteio em uma escola de ensino fundamental no Texas, Estados Unidos, deixou 19 crianças mortas, além de uma professora e um outro adulto nesta terça-feira (24), informaram as autoridades americanas.

Em entrevista coletiva, o governador Greg Abbott havia dito inicialmente que 14 crianças haviam morrido.

Mais tarde, o senador texano Roland Gutierrez disse em entrevista à TV americana que mais quatro crianças morreram no ataque, elevando a cifra para 18. Além disso, ele disse que o total de adultos mortos chegou a três. Não está claro se o criminoso, morto no local, faz parte desta contagem.

Por fim, um porta-voz do Departamento de Segurança Pública do Texas informou no final da noite desta terça que o total de crianças mortas é de 19. Mais dois adultos também foram mortos.

O incidente foi registrado na escola Robb Elementary, na cidade de Uvalde, a 130 km de San Antonio. O caso já é considerado como o mais mortal dos EUA desde o massacre na escola Sandy Hook, em Connecticut, que deixou 26 pessoas mortas – 20 crianças entre 6 e 7 anos e seis adultos – em 2012.

Leia Também:  Lava Jato é condenado em R$ 42 mil por veículo roubado em MT

Por enquanto, sabe-se que as crianças mortas são do 2º, 3º e 4º ano do colégio. A escola, uma “elementary school”, recebe alunos de 5 a 10 anos. O criminoso foi identificado pelas autoridades como Salvador Roma, de 18 anos.

Não há, até a última atualização desta reportagem, informações sobre as motivações do ataque. Informações divulgadas pela imprensa americana dão conta de que o assassino teria atirado contra a sua própria avó antes de se dirigir para a instituição de ensino.

Mulheres choram após ataque em escola do Texas em 24 de maio de 2022 — Foto: Reuters

Mulheres choram após ataque em escola do Texas em 24 de maio de 2022 — Foto: Reuters

Além das mortes, estudantes deram entrada em um hospital da região com ferimentos e o banco de sangue da cidade fez um pedido para doações. Uma criança e uma mulher de 62 anos precisaram ser transferidas para uma cidade vizinha, para um centro de saúde especializado em traumas.

Tiroteio na escola

 

Mapa mostra localização de Uvalde, no Texas — Foto: g1 Mundo

Mapa mostra localização de Uvalde, no Texas — Foto: g1 Mundo

No começo da tarde, por volta do meio dia, a polícia de Uvalde respondeu a um chamado na escola de ensino fundamental Robb Elementary.

Leia Também:  Lula recebe título em Paris e visita jardim em homenagem a Marielle Franco

Eles isolaram a área e pediram que os pais dos alunos aguardassem a liberação e entrega organizada dos estudantes em um local seguro.

Nos EUA, o ano letivo termina em junho, quando começam as férias de verão, e a escola Robb Elementary estava em sua última semana de aulas.

Crianças entram em um ônibus escolar enquanto policiais guardam a cena de um tiroteio suspeito perto da Robb Elementary School em Uvalde, Texas, EUA, em 24 de maio de 2022 — Foto: REUTERS/Marco Bello

Crianças entram em um ônibus escolar enquanto policiais guardam a cena de um tiroteio suspeito perto da Robb Elementary School em Uvalde, Texas, EUA, em 24 de maio de 2022 — Foto: REUTERS/Marco Bello

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA