Internacional

Max Russi representa Legislativo e assegura foco na ampliação de comércio internacional

O parlamentar participou da agenda de compromissos institucionais do governador Mauro Mendes e comitiva no país vizinho. Presidente do Parlamento crê na potencialização turística e econômica, a partir da ampliação das relações entre governos.

Publicados

Internacional

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), acredita que uma relação mais próxima, entre o Governo do Estado e a Bolívia, possa potencializar o desenvolvimento turístico e econômico de Mato Grosso. Russi participou da agenda de compromissos institucionais do governador Mauro Mendes no país vizinho, no último fim de semana. Ele associou a participação do Parlamento no estreitamento das relações internacionais e assegurou foco do Legislativo na ampliação do comércio entre os países. “Contem com a Assembleia Legislativa para que a gente possa estreitar e fortalecer esse relacionamento”, complementou.

Na sexta-feira (17), a comitiva deu início ao cronograma de atividades em Santa Cruz de La Sierra, onde se reuniu com o governador do Departamento Luiz Fernando Camacho. Em solenidade, foi assinado um memorando, que vai possibilitar possíveis parcerias entre ambos os governos. Ainda durante a manhã, o deputado Max Russi acompanhou o governador em homenagem recebida do Honorável Acadêmico da Udabel – Universidade de Aquino.

No início da tarde, o grupo se reuniu com o prefeito Jhonny Fernandez Saucedo, para a assinatura de um Protocolo de Intenções, focado na atuação em áreas de saúde, segurança, educação, cultura, desenvolvimento humano e econômico.

Leia Também:  Japão avalia possibilidade de interceptação de novos mísseis norte-coreanos

Outro compromisso foi o encontro como o gerente da Amaszonas by Nella, Geraldo Velasquez. A pauta, com o representante da companhia aérea foi a tratativa para o voo Cuiabá – Santa Cruz, já que a Nella é uma start-up brasileira, de baixo custo. Durante a noite, o deputado Max Russi também prestigiou, junto ao governador Mauro Mendes e autoridades, a 45ª Feira Internacional de Santa Cruz de La Sierra (Expocruz).

“Tivemos atividades e encontros importantes durante todo o dia e a oportunidade de reafirmar o compromisso do nosso Estado no fortalecimento do desenvolvimento. Acredito que esse trabalho, em conjunto com o governo boliviano, possa render bons frutos comerciais, tanto para quem vende, como também para o consumidor”, avaliou.

O fornecimento de Gás tem sido a principal pauta entre Brasil e Bolívia. Em 2019 o deputado Max Russi, na época primeiro –secretário da Assembleia Legislativa, participou, em Santa Cruz de La Sierra, da assinatura do contrato para o restabelecimento do fornecimento do gás boliviano. Ainda no primeiro semestre deste ano, o governador Mauro Mendes assinou um novo documento, para a assegurar o abastecimento às empresas do Distrito Industrial de Cuiabá.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Internacional

Caravana da alegria em Dubai é um acinte à sociedade brasileira

O problema de um governo deficitário não é apenas gastar muito, mas, principalmente, gastar mal

Publicados

em

Dubai é uma festa para a deslumbrada caravana brasileira enviada aos Emirados Árabes Unidos para fazer propaganda do país durante a Expo Dubai 2020, que acontece neste ano, depois de adiada devido à pandemia. Financiada com dinheiro do contribuinte, a farra já custou aos cofres públicos pelo menos R$ 3,6 milhões, como mostrou reportagem do Globo. Só em passagens aéreas e diárias, foi gasto até agora R$ 1,17 milhão, de acordo com dados do Painel de Viagens do Ministério da Economia. A diária varia entre US$ 300 (R$ 1.600) e US$ 350 (1.900) por pessoa.

O Expresso Dubai abarca 69 pessoas de nove ministérios e da Vice-Presidência da República — em média, sete viajantes por pasta. De tão inchado, o número de participantes chegou a ser questionado pela área técnica de alguns ministérios, pelo visto, em vão. Para efeito de comparação, a comitiva que viajou para Nova York com o presidente Jair Bolsonaro, em setembro, para participar da Assembleia Geral da ONU, reunia 45 pessoas. O valor total da viagem alcançou R$ 1,1 milhão.

Leia Também:  Japão avalia possibilidade de interceptação de novos mísseis norte-coreanos

Um dos relatos mais precisos e representativos da excursão foi feito pelo secretário da Pesca, Jorge Seif, numa rede social. Em vídeo gravado numa praia, ele próprio se referiu ao evento como “trabalho-passeio” e disse que a cidade “é top demais”: “Estamos trabalhando, não estamos passeando, promovendo o turismo da Amazônia. Lógico que isso aqui, naturalmente, é um trabalho-passeio, né?”.

A Embratur gastou cerca de R$ 2,3 milhões — sem licitação — na montagem do pavilhão, cujo tema é a Floresta Amazônica. Claro que de pouco adianta mandar comitiva aos Emirados Árabes para promover a Amazônia se o mundo inteiro sabe que ela arde sem parar sob a vista grossa do governo Jair Bolsonaro. Melhor seria agir aqui mesmo, evitando as queimadas e os desmatamentos que não param de bater recordes.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA