a

Policial

Empresário que matou 1 e deixou 2 baleados em briga de trânsito se apresenta

Publicados

Policial

O empresário Cristiano Silva de Lima, de 33 anos, acusado de matar Adenilson Rodrigues de Oliveira, 37 anos, durante uma troca de tiros na noite do último domingo (12), em Sinop (490 km de Cuiabá), se apresentou à Polícia Judiciária Civil, na noite desta terça-feira (14). Conforme depoimento de Cristiano, o tiroteio foi causado por uma briga de trânsito.

De acordo informações da Divisão de Homicídios de Sinop, todos os envolvidos estavam participando de uma confraternização, mas em locais diferentes, localizados ali na região. Por volta das 19h, no trajeto para suas respectivas residências, os suspeitos se encontravam nas proximidades da estrada Selene, quando houve o desentendimento no trânsito que culminou com a morte de Adenilson.

Conforme relatado por Cristiano, quando o veículo de Adenilson passou, ele não se lembra de ter batido no veículo ou de ter feito alguma manobra que os levassem ao desentendimento. Mas, logo na sequência, sentiu os vidros de seu carro estourarem, fazendo com que ele perdesse o controle do veículo e batesse em uma cerca. Neste momento começou a confusão e, possivelmente, a troca de tiros.

Leia Também:  Indígenas sequestram turistas que pescavam no Parque do Xingu

Durante o tiroteio, o suspeito também foi baleado na altura do ombro. As suspeitas dos investigadores seria de que após a troca de tiros, o empresário recebeu atendimento médico na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na qual havia levado seu funcionário, que também foi atingido pelos disparos. O funcionário de Cristiano deverá ser ouvido nos próximos dias.

Questionado sobre a arma utilizada, Cristiano disse que ‘desapareceu’. O suspeito confessou que tinha a arma no interior do carro, um revólver calibre 38, que foi utilizado na situação, mas que ele não sabe dizer onde foi parar.

Já o policial militar, que também foi baleado, contou que vinha logo atrás e, ao perceber a situação, tentou intervir, mas que Adenilson começou a atirar contra ele, atingindo-o. Mesmo ferido, o PM conseguiu tirar a arma do suspeito e ir em busca de socorro médico.

A arma do suspeito morto foi entregue à Polícia Civil.  Após ser ouvido, Cristiano foi liberado. O caso continua sendo investigado.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Policial

Motorista envolvido em acidente que matou uma pessoa se apresenta à polícia em Barra do Garças

O condutor se apresentou espontaneamente acompanhado por um advogado.

Publicados

em

O motorista do veículo Chevrolet Celta que se envolveu no trágico acidente com uma motocicleta Honda CG 150 Titan, na tarde de domingo (26), nas confluências dos bairros Tamburi e Ouro Fino, em Barra do Garças, que resultou na morte de uma mulher de 44 anos, se apresentou na 1° Delegacia da Polícia Civil na tarde desta segunda-feira (27).

Após o acidente, o homem abandonou o local, deixando o veículo visivelmente avariado pela colisão.

A motociclista Maria de Jesus Oliveira Cardoso, chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros, porém, não resistiu e foi à óbito.

Após o acidente, a equipe de investigadores da 1°DP identificou a pessoa cujo veículo está registrado em seu nome, e a partir dessa informação, foi possivel identificar a pessoa que estava conduzindo o carro.

A investigação concluiu que no veículo estavam duas pessoas, sendo o motorista e uma criança de aproximadamente 8 anos, porém, antes de ser localizado, o condutor se apresentou espontaneamente acompanhado por um advogado.

Com algumas escoriações pelo corpo em razão do acidente, o homem de 35 anos que trabalha como pintor, relatou que a motociclista entrou bruscamente no cruzamento, e que ele não conseguiu frear, alegando que tentou virar o carro na tentativa de evitar o acidente, porém, não conseguiu.

Leia Também:  PM prende homem procurado por três assassinatos em Goiás

Relatou ainda que após a colisão, pediu a uma pessoa que acionasse o Corpo de Bombeiros e deixou o local com o filho que o acompanhava.

O homem que é habilitado, confirmou que o veículo lhe pertence, e após ser ouvido foi liberado. Por se tratar de crime culposo, a legislação não prevê prisão provisória.

O delegado Pablo Borges é o responsável pelo inquérito.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA