a

Policial

Justiça sequestra R$ 60 milhões e 121 veículos de traficantes

Ação da Polícia Federal desmontou um grupo acusado de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro

Publicados

Policial

A Justiça determinou o sequestro de cerca de R$ 60 milhões nas contas bancárias dos alvos da Operação Jumbo, deflagrada nesta segunda-feira (16) pela Polícia Federal.

A operação desmontou um grupo acusado de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em Mato Grosso. O bando movimentou R$ 350 milhões em um período de quatro anos, segundo a PF.

De acordo com o delegado Jorge Vinicius Gobira Nunes, responsável pela operação, além do valor, a Justiça também determinou o bloqueio de 121 veículos dos acusados.

“Essa investigação também teve o condão de identificar esse vultoso patrimônio que não tinha lastro com as atividades lícitas que os principais investigados desenvolviam. Na data de hoje estão sendo sequestrados por determinação judicial  cerca de R$50 a R$60 milhões de reais do patrimônio dos investigados”, disse.

O delegado declarou que a maioria dos veículos bloqueados são de luxo.

“Boa parte desses veículos eram carros de luxo, outros de valor médio, mas todos adquiridos com dinheiro do tráfico de entorpecentes”, afirmou.

Leia Também:  Fugitivo da Penitenciária de Água Boa é recapturado em zona rural; Veja vídeo

Fora o dinheiro bloqueados, nas casas dos alvos, a PF ainda apreendeu R$ 350 mil em dinheiro vivo.

Só na casa de um dos principais alvos da operação, que  é um dono de três postos de combustíveis na Capital, foram apreendidos R$ 40 mil em dinheiro, além de joias.

O empresário, segundo a PF,  era resposável por lavar o dinheiro da organização criminosa.

A operação 

Ao todo, foram expedidos oito mandados de prisão preventiva, 29 mandados de busca e apreensão, além do sequestro de diversos bens.

A ação é realizada em Cuiabá, Várzea Grande, Mirassol D’Oeste, Poconé e Pontes e Lacerda.

Conforme as investigações, a organização criminosa adquiria a cocaína no município de Porto Esperidião, acondicionava em Mirassol para depois distribuí-la em Cuiabá.

Além disso, a investigação apontou que a organização utilizava postos de combustíveis em Cuiabá para a lavagem de dinheiro decorrente do tráfico de drogas.

As investigações e diligências contra o tráfico de drogas continuam, com especial atenção à prisão das lideranças e descapitalização de organizações criminosas.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Policial

Motorista envolvido em acidente que matou uma pessoa se apresenta à polícia em Barra do Garças

O condutor se apresentou espontaneamente acompanhado por um advogado.

Publicados

em

O motorista do veículo Chevrolet Celta que se envolveu no trágico acidente com uma motocicleta Honda CG 150 Titan, na tarde de domingo (26), nas confluências dos bairros Tamburi e Ouro Fino, em Barra do Garças, que resultou na morte de uma mulher de 44 anos, se apresentou na 1° Delegacia da Polícia Civil na tarde desta segunda-feira (27).

Após o acidente, o homem abandonou o local, deixando o veículo visivelmente avariado pela colisão.

A motociclista Maria de Jesus Oliveira Cardoso, chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros, porém, não resistiu e foi à óbito.

Após o acidente, a equipe de investigadores da 1°DP identificou a pessoa cujo veículo está registrado em seu nome, e a partir dessa informação, foi possivel identificar a pessoa que estava conduzindo o carro.

A investigação concluiu que no veículo estavam duas pessoas, sendo o motorista e uma criança de aproximadamente 8 anos, porém, antes de ser localizado, o condutor se apresentou espontaneamente acompanhado por um advogado.

Com algumas escoriações pelo corpo em razão do acidente, o homem de 35 anos que trabalha como pintor, relatou que a motociclista entrou bruscamente no cruzamento, e que ele não conseguiu frear, alegando que tentou virar o carro na tentativa de evitar o acidente, porém, não conseguiu.

Leia Também:  Homem invade casa em Água Boa, diz que vai ficar com mulher à força, é espancado pelo noivo dela e acaba morrendo

Relatou ainda que após a colisão, pediu a uma pessoa que acionasse o Corpo de Bombeiros e deixou o local com o filho que o acompanhava.

O homem que é habilitado, confirmou que o veículo lhe pertence, e após ser ouvido foi liberado. Por se tratar de crime culposo, a legislação não prevê prisão provisória.

O delegado Pablo Borges é o responsável pelo inquérito.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA