Policial

Lobistas usam nome do BNDES e de um senador e extorquem agropecuarista e empresário de Barra do Garças em R$ 600 mil usando dólares falso

Os empresários barragarcenses, Emerson David de Barros e o agropecuarista Alípio Tontin Júnior, bem como os supostos membros da organização criminosa estiveram no gabinete do prefeito de Barra do Garças, Dr. Adilson ladeados do vereador Murilo Valões Metello. A quadrilha sempre bem trajada com voz firme e discurso fácil se apresentou ao gestor com falso discurso de que estaria construindo na cidade uma indústria de medicamentos e que geraria em torno de 400 empregos.

Publicados

Policial

Uma suposta organização criminosa especializada em extorquir empresários que pleiteavam financiamentos na ordem de R$ 60 milhões junto ao BNDES, aplicou recentemente um golpe em Barra do Garças-MT, eles extorquiram e deixaram na lona o agropecuarista Alípio Júnior e seu primo, o empresário Emerson David, que é proprietário da Casa de carnes imperial. O golpe aplicado contra a dupla foi na ordem de R$ 600 mil reais

O valor pago aos golpistas seria uma propina firmada para dividir entre eles com a missão de montar o processo de financiamento, acompanhar, dar celeridade e conseguir as rubricas junto ao BNDES para o recebimento do financiamento milionário.

O repasse da propina ocorreu dentro da agência do Banco do Brasil na praça Tamandaré em Goiânia, ocasião em que os empresários repassaram o valor em espécie para os golpistas que consequentemente devolveram em dólares como se estivesse trocando de moeda, a ação envolveu um suposto doleiro de nome Rodrigues.

Somente após a quadrilha sair do banco foi que a dupla de barra-garcenses percebeu que se tratava de um golpe.

Os empresários também estiveram pessoalmente em Brasília nos corredores do BNDES onde foram recebidos por Brandão que inclusive tinha crachá de livre acesso ao prédio da instituição financeira.


DÓLARES FALSOS APREENDIDOS USADOS NO GOLPE

Na capital da república o empresário e o pecuarista tiveram suas despesas de hotel e churrascarias pagas pelos golpistas, uma estratégia usada para adquirir confiança dos pleiteantes.

Segundo o empresário Emerson David, um dos criminosos de nome Brandão se passava como sendo uma das figuras importantes dentro do BNDES em Brasília, ele também apresentava outra pessoa de nome Ricardo como sendo seu gestor financeiro, além de outra golpista de nome Silvio como sendo seu assessor direto.

Antes de realizar o golpe o trio esteve em Barra do Garças por três vezes, em uma delas eles pousaram no aeroporto da cidade com pompas de “chefe de estado” em um avião particular (Quinguer), ocasião em que foram recebidos pelo vereador Murilo Valões e pelos empresários que pleiteavam o financiamento.

Em Barra do Garças a suposta quadrilha ainda revelou o “desejo” de construir uma fábrica de medicamentos na cidade, e que iria gerar centenas de empregos diretos.

Diante da boa notícia eles foram encaminhados pelo vereador ate o gabinete do prefeito Adilson para apresentar ao gestor as “boas novas” onde foram recebidos institucionalmente pelo prefeito que os tratou muito bem e ouviu suas propostas.

Para a suposta fábrica de medicamentos os golpistas estiveram olhando uma área para comprar localizada na saída para a cidade de Araguaiana, mas acabou “finalizando” a aquisição de outra área em outro setor da cidade e que pertence ao Sr. José Carlos Nogueira, residente em Rio Preto-SP, os golpistas foram ate lá e “fecharam” o negócio com o proprietário da área, que ainda não recebeu.

Em entrevista ao jornalista Netão do Araguaia, e com o faro de delegado de polícia aposentado, prefeito Adilson afirmou que chegou a desconfiar da excelente proposta e que inclusive chegou a questionar os supostos investidores se eles já teriam algum estudo, projeto de logística e de viabilidade econômica da região para construir a empresa, sem transmitir firmeza em suas palavras eles disseram que ainda não.

Já para o pleito de financiamentos por parte dos dois empresários para a construção de um frigorífico, os supostos golpistas chegaram a visitar o antigo abatedouro peixinho, bem como outra planta frigorífica mais moderna que esta parada com suas atividades em Barra do Garças a alguns anos.

Informações dão conta que a pelo menos quatro meses a quadrilha vinha agindo na região, em algumas das vezes eles usavam o nome de um senador da república pelo Rio Grande do Sul para dar mais credibilidade ao golpe.

De acordo apurou o site Notícia dos Municípios, o agropecuarista Alípio teve que vender sua fazenda para repassar a propina à quadrilha após esperançosas promessas do recebimento integral do financiamento, a Polícia Federal e o DEIC de Goiânia com apoio das polícias de Barra do Garças estão investigando o caso.  

Em entrevista ao jornalista Borges Netão do Araguaia, do site Noticia dos Municípios, o empresário Emerson conta detalhes de como foi lesado com as propostas irrecusáveis da quadrilha.

ASSISTA OS VÍDEOS

Leia Também:  Acidentes de trânsito e afogamentos tiram a vida de 42 crianças

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Policial

Em 48h, 2º DJ é executado em Sinop; filha de 10 anos leva tiro na boca

Vítima estava chegando em casa com a filha e a esposa quando foi surpreendida pelos atiradores

Publicados

em

m dois dias, segundo DJ é executado em Sinop ( a 500 de Cuiabá). Renê Souza, de 30 anos, foi assassinado no final da noite desta quinta (25) quando chegava na casa dele, na rua João Pedro Moreira de Carvalho, no bairro Menino Jesus I.  A filha, de 10 anos, que estava sendo levada pela vítima, foi atingida por um disparo na boca.

Segundo informações da Polícia Militar, o crime foi registrado por volta das 23h30. O Corpo de Bombeiros foi acionado mas apenas constatou que o DJ estava morto. Já a filha socorrida por familiares até o Hospital Regional.

Renê era DJ e tinha um comércio no bairro. Ele estava chegando em casa com a filha e a esposa quando foi surpreendido pelos atiradores. A perícia criminal constatou que ele foi atingido com pelo menos sete tiros no braço, perna, costas e cabeça.

DJ Renê é o segundo músico assassinado em menos de uma semana. Na madrugada de quarta (24), dois homens, usando capuz, mataram DJ André Master em uma tabacaria no Jardim Violetas. A vítima e uma mulher foram atingidos pelos disparos. A mulher foi socorrida com um disparo na nádega e continua internada. A Polícia Civil investiga o crime.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Inferno a penitenciária Ferrugem inclui extorsão, agressões diárias e tortura
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA