a

Policial

PF faz operação e apura “patrocínio” de facção a campanha política em Barra do Garças; vídeo

Nove mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva foram expedidos pela Justiça

Publicados

Policial

A Polícia Federal de Barra do Garças (MT) deflagrou, nesta quinta-feira (23), a operação Segundo Caminho, com o intuito de apurar a participação de membros de uma organização criminosa que patrocinou a candidatura de um dos alvos ao cargo de vereador nas eleições que ocorreram na cidade, no ano de 2020.

A ação um é desdobramento da operação Captura de Estado, deflagrada pela Polícia Federal, em 2020, que apurou a atuação de indivíduos que supostamente cometiam vários crimes a fim de financiar uma facção criminosa atuante na região do Vale do Araguaia em razão de suas atividades ilícitas e prática de delitos conexos previstos na Lei de Lavagem de Capitais, na Lei de Drogas e no Código Penal.

Nove mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, expedidos pela Justiça Comum Estadual de Cuiabá (MT), foram cumpridos nas cidades de Rondonópolis, Cuiabá, Várzea Grande e Barra do Garças.

As condutas praticadas encontram tipificação no art. 1º, caput, da Lei 9.613/1998 (Lavagem de capitais), no art. 2º, caput, da Lei 12.850/2013 (Organizações Criminosas), bem como no art. 171, §2º-A, do Código Penal (Estelionato mediante Fraude Eletrônica). Quando somadas, as penas máximas de tais delitos superam 20 (vinte) anos de reclusão.

Leia Também:  Procurador de peso anuncia grande operação do Ministério Público ainda este ano; figurões seriam alvos do Naco

Devido a investigação envolver uma facção criminosa a Polícia Federal utilizou também três cães farejadores durante as buscas.

O nome da operação é referente a declaração de um dos alvos que afirmou que no mundo do crime existem três caminhos: a igreja, a prisão ou a morte

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Policial

Motorista envolvido em acidente que matou uma pessoa se apresenta à polícia em Barra do Garças

O condutor se apresentou espontaneamente acompanhado por um advogado.

Publicados

em

O motorista do veículo Chevrolet Celta que se envolveu no trágico acidente com uma motocicleta Honda CG 150 Titan, na tarde de domingo (26), nas confluências dos bairros Tamburi e Ouro Fino, em Barra do Garças, que resultou na morte de uma mulher de 44 anos, se apresentou na 1° Delegacia da Polícia Civil na tarde desta segunda-feira (27).

Após o acidente, o homem abandonou o local, deixando o veículo visivelmente avariado pela colisão.

A motociclista Maria de Jesus Oliveira Cardoso, chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros, porém, não resistiu e foi à óbito.

Após o acidente, a equipe de investigadores da 1°DP identificou a pessoa cujo veículo está registrado em seu nome, e a partir dessa informação, foi possivel identificar a pessoa que estava conduzindo o carro.

A investigação concluiu que no veículo estavam duas pessoas, sendo o motorista e uma criança de aproximadamente 8 anos, porém, antes de ser localizado, o condutor se apresentou espontaneamente acompanhado por um advogado.

Com algumas escoriações pelo corpo em razão do acidente, o homem de 35 anos que trabalha como pintor, relatou que a motociclista entrou bruscamente no cruzamento, e que ele não conseguiu frear, alegando que tentou virar o carro na tentativa de evitar o acidente, porém, não conseguiu.

Leia Também:  Prisão de presidente da Câmara de Nova Nazaré causa perplexidade entre colegas

Relatou ainda que após a colisão, pediu a uma pessoa que acionasse o Corpo de Bombeiros e deixou o local com o filho que o acompanhava.

O homem que é habilitado, confirmou que o veículo lhe pertence, e após ser ouvido foi liberado. Por se tratar de crime culposo, a legislação não prevê prisão provisória.

O delegado Pablo Borges é o responsável pelo inquérito.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA