a

Política

Após deputado Thiago Silva usar aeronave da AL para carregar cantores gospel, Botelho proíbe uso da máquina pública

Após deputado Thiago Silva usar aeronave da AL para carregar cantores gospel, Botelho proíbe uso da máquina pública

Publicados

Política

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho (UB), afirmou na manhã desta quarta-feira (15) que não permitirá que os deputados estaduais utilizem as aeronaves disponibilizadas pela Casa durante o período eleitoral. O parlamentar também comentou sobre a utilização de emendas parlamentares para pagamentos de cachês de artistas, além do uso inadequado do avião do Legislativo.

Botelho comentou sobre a polêmica envolvendo o deputado estadual Thiago Silva (MDB), que teria utilizado o avião da Assembleia Legislativa para o transporte da dupla de música gospel Daniel e Samuel, contratada para uma apresentação em Primavera do Leste. Para o presidente da ALMT, as ‘caronas’ não são prejudiciais, mas o parlamentar precisa estar em viagem oficial e presente na aeronave.

“O avião é para o deputado, mas algumas vezes vai alguém acompanhando. Não vejo como nada que gere prejuízo. No entanto, ela é para uso em serviço do parlamentar. O próprio governador volta e meia dá carona para empresários em suas viagens e não tem problema algum. O que não pode é utilizar com esta finalidade. A Casa não investiga e a única coisa que exigimos é que exista uma agenda oficial e o parlamentar esteja na aeronave”, explicou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Prefeito de Querência e família são autuados por fraude em autorizações de desmatamento
Propaganda

Política

Projeto do Governo vai vetar uso de emendas em shows nacionais

https://www.midianews.com.br//storage/webdisco/2022/02/10/438×291/6b330e589ee753f8315ba772fcc4dc1e.jpg

Publicados

em

O governador Mauro Mendes (União Brasil) afirmou nesta segunda-feira (27) que vai encaminhar para a Assembleia Legislativa um projeto de lei que proíbe a destinação de emendas parlamentares para shows nacionais em Mato Grosso.

A polêmica que ficou nacionalmente conhecida como “CPI do Sertanejo”, veio à tona após a revelação dos valores milionários pagos com dinheiro público para contratação de cantores nacionais. O Ministério Público Estadual (MPE) abriu investigações sobre o caso.

“Vou mandar para a Assembleia essa semana um projeto de lei para a gente normatizar um pouco essa história, até para acabar um pouco com essas confusões. Tem dado muita polêmica, acho que é bom fazer um freio de arrumação nesse negócio”, afirmou.

De acordo com o governador, o projeto visa limitar o uso das emendas parlamentares da área da Cultura para artistas locais.

O projeto vai limitar esses recursos da cultura aos artistas mato-grossenses. Se alguém quer fazer um show nacional, ok. Pode fazer, ninguém vai ficar proibindo de fazer. Agora, o dinheiro público mato-grossense é para apoiar os artistas mato-grossenses, a cultura mato-grossense”, explicou.

Leia Também:  País tem recorde de extrema pobreza com 14,5 milhões de famílias na miséria

Questionado, o governador negou que a proposta seja populista com vista à sua eventual reeleição.

“Eu falo como governador e tenho responsabilidades. Quando era prefeito e não fui para a reeleição, até o último dia do meu mandato eu tomava decisões que eu achava que eram corretas”, disse.

“Independente de ser ou não populares, de ser politicamente corretas, possa ganhar ou não voto, eu acho que o apoio à cultura precisa ter, o apoio a projetos culturais é importante, mas nós temos que apoiar cidadãos mato-grossenses, o artista mato-grossense”, acrescentou.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA