Política

Carlos Bezerra convida Antônio Bosaipo para filiar no MDB

Publicados

Política

Na tarde de quarta-feira (29.09), o deputado federal, ex-senador e ex-governador de Mato Grosso, Carlos Gomes Bezerra fez uma visita pessoalmente ao jovem empresário Antônio Bosaipo em sua residência em Cuiabá, o objetivo da visita foi para oficializar o pedido ao jovem administrador para seu ingresso nas fileiras do MDB e lhe oferecer todas as condições para pleitear uma candidatura em 2022.

O deputado federal e presidente da sigla em Mato Grosso, Carlos Bezerra, disse acreditar no potencial político do jovem herdado da sua família. “Antônio Bosaipo é um garoto visionário atuante e cheio de sonhos, ele é desprendido e muito trabalhador, seu potencial político honra qualquer sigla partidária, é um excelente nome para representar Mato Grosso tanto em Brasília na Câmara Federal ou na Assembleia Legislativa em Cuiabá, ele tem capacidade e vontade de trabalhar muito por Mato Grosso”. Disse o cacique do MDB.

Conversas de bastidores dão conta que há bastante tempo o herdeiro político e filho do ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Legislativa Humberto Bosaipo vêm sendo sondado por algumas siglas para o pleito de 2022, em especial pela classe política da região do Araguaia, onde esta fincada suas raízes e cordão umbilical, principalmente por ser um defensor assíduo da bandeira do desenvolvimento regional e do municipalismo.

Leia Também:  Cinco jovens são presos em 'resenha' em Porto Alegre do Norte, policiais são agredidos

Procurado pela reportagem do Notícia dos Municípios para falar sobre o assunto, o jovem administrador preferiu enaltecer a figura de Carlos Bezerra a quem o qualificou como um grande líder político respeitado em todo Mato Grosso, oportunamente afirmou que agradeceu o parlamentar pelo convite a amizade o companheirismo e pela visita, mas reiterou que tomara tal decisão sobre filiação a alguma sigla somente em dezembro deste ano.

Carlos Bezerra no dia 04 de novembro completará 80 anos de vida, sendo mais de cinquenta deles dedicado à vida pública com mandatos eletivos.

Bezerra foi deputado estadual governador do Estado, senador da república e atualmente continua como deputado federal reeleitos por vários pleitos, sendo considerado um das figuras publica mais atuante e respeitada do congresso nacional.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Guedes pediu demissão, mas Bolsonaro tenta demovê-lo, diz jornalista

Publicados

em

O jornalista Vicente Nunes acaba de publicar em seu blog no Correio Braziliense que o ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu demissão do cargo a presidente Jair Bolsonaro.

O pedido foi feito na quinta-feira (21) durante uma pesada discussão entre o ministro e o presidente.

Guedes falou muitos tons acima do normal e disse que não aceitaria as manobras feitas pelo governo, à sua revelia, para furar o teto de gastos a fim de bancar o Auxílio Brasil de R$ 400.

O pedido de demissão de Guedes foi confirmado por quatro interlocutores ouvidos pelo blog de Vicente Nunes.

Foi feito logo depois de o ministro ser comunicado por quatro auxiliares de que não ficariam no governo diante da farra fiscal para tentar reeleger Bolsonaro.

Deixaram o Ministério o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, a secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo.

Guedes está se sentido desmoralizado, segundo amigos próximos. Não está descartada que a sua demissão seja formalizada nesta sexta-feira (22) ou ao longo da próxima semana.

Leia Também:  Cinco jovens são presos em 'resenha' em Porto Alegre do Norte, policiais são agredidos

O ministro diz que chegou ao limite, pois as mudanças propostas pelo governo para o teto de gastos são inaceitáveis.

A situação está tão tensa no Ministério da Economia, que nem a agenda de Guedes foi divulgada.

A única informação é de que ele está em compromissos internos. Interlocutores de Bolsonaro estão sondando nomes para o lugar de Guedes.

No Ministério da Economia, pouca gente acredita que um nome de peso aceite assumir o comando da política econômica com Bolsonaro enlouquecido com a reeleição.

Para se ter um ideia da desconfiança em relação ao governo, Guedes, inclusive, está com dificuldades para preencher os quatro postos abertos em sua equipe.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA