Política

CARREIRA SOLO- Liderança política de Ribeirãozinho afirma não apoiar suposta candidatura de Arlan Catulé a deputado estadual

Se depender do presidente do legislativo de Ribeirãozinho, Agostinho Carneiro (PSDB), o suposto pré-candidato a deputado estadual, o ex-vereador Arlan Catulé (PSL), que também é morador daquele município, não terá o apoio do seu grupo político. Agostinho alega que Catulé sempre apoiou candidaturas de Cuiabá por vaidade e interesse pessoal, e somente agora aparece com discurso do regionalismo.

Publicados

Política

Em uma rodada de bate papo descontraído com o vereador e presidente da Câmara Municipal de Ribeirãozinho, Agostinho Carneiro (PSDB) em sua residência quando da nossa visita aquele município em 07.07, após uma rodada de café pau e prosa obviamente transformada em conjecturas política, ele deixou claro a nossa reportagem que se depender dele e dos demais companheiros do seu grupo a possibilidade de apoiar a pré-candidatura de Catulé em 2022 é zero.

Em forma de desabafo o vereador não pediu segredo e ainda relembrou que nos momentos que seu grupo político mais precisou do ex-vereador para ajudar a eleger um deputado estadual pelo Vale do Araguaia ele foi o primeiro a dizer NÃO, e citou 2014 quando Catulé preferiu abraçar a candidatura do falecido deputado cuiabano Walter Rabelo. Rabelo foi reeleito para o terceiro mandato na AL, mas morreu vítima de um infarto fulminante em sua residência em Cuiabá antes de tomar posse.

De acordo com o vereador, não satisfeito em 2018 a cena se repetiu e Catulé novamente apoiou outro candidato a deputado de fora, Romualdo Junior, que além de possuir uma extensa ficha criminal tem domicílio eleitoral no Nortão de Mato Grosso.

Romualdo já havia sido deputado por vários mandatos e também prefeito da cidade de Alta Floresta, em 2018 apoiado pelo âncora da Terra FM de Ribeirãozinho alcançou apenas a segunda suplência na AL.

Leia Também:  Ex-deputado Daltinho recorre ao STF para anular condenação de 5 anos de prisão em MT

No entender do presidente do legislativo local a política é ingrata e para cada ação pode haver uma reação inclusive da população local, o vereador não alegou revanchismo, mas compromisso do seu grupo político que continuará apoiando a reeleição do deputado estadual Nininho (PSD) que tem ajudado bastante o município através de emendas e recursos para construção de obras, além de ser um parceiro de primeira hora de Ribeirãozinho.

“Nosso município é muito pequeno e carente não passamos de dois mil eleitores, as abstenções são muitas, não temos como dividir votos e nem arriscar aventuras, nosso candidato será o companheiro Nininho, e não pedimos segredo, ainda quero o que falar isso pessoalmente pro Catulé”. Alfinetou Agostinho.

 
Ex-vereador e suposto pré-candidato a deputado Arlan Catulé

Pelo visto o pré-candidato a deputado estadual Arlan Catulé tem tentado a todo custo massificar o seu nome na região principalmente usando as redes sócias disparando fotos e vídeos em pontos diferentes da região, estranhamente pregando o regionalismo e usando o tema “força união lutas e sonhos”, inclusive defendendo a bandeira da pavimentação asfáltica da MT-100 interligando Alto Araguaia a Pontal do Araguaia como se fosse “o cara da rodovia”.

Leia Também:  Policiais federais vão às ruas contra o governo Bolsonaro

HISTÓRICO

A tão sonhada obra de pavimentação asfáltica da MT-100 esta em fase final de conclusão e somente foi possível graças ao empenho de todos os prefeitos da região que vem se mobilizando desde o ano 2000, além de senadores, deputados federais, estaduais e produtores de grãos da região.

O empenho pessoal do atual governador Mauro Mendes esta sendo fundamental para a conclusão das obras que foram iniciadas na gestão do então ex-governador Blairo Maggi, passando por Silval Barbosa e Pedro Taques.

Nesta quinta-feira (22.07) mais uma vez o governador e sua comitiva estarão percorrendo de carro todo o trecho até Barra do Garças vistoriando as obras de asfalto e restauração da referida rodovia.

Mauro Mendes será recepcionado pelos prefeitos Chiquinho (Araguainha), Cleneir Parreira (Ponte Branca), Ronivon (Ribeirãozinho), Adelcino Lupo (Pontal do Araguaia) e Adilson Macedo (Barra do Garças).

A pavimentação da rodovia foi iniciada ainda no 1º mandato do ex-governador Silval Barboza, teve sequência no governo de Pedro Taques e deverá ser concluída ainda este ano ate o final do mandato do atual governador Mauro Mendes.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Essa LDO é a maior vergonha que o Estado brasileiro já votou”

Único voto contrário na bancada de MT, petista vê “barganha eleitoral” por parte do Governo Bolsonaro

Publicados

em

Única de Mato Grosso a votar contra a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2022, a deputada federal Rosa Neide (PT) acredita que o aumento do fundo eleitoral e a manutenção do “orçamento secreto” serão usados como “barganha eleitoral” pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

 

Na semana passada, a Câmara Federal aprovou a LDO, onde constam um fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões – quase o triplo do que foi gasto nas eleições de 2020 – e turbina o pagamento de emendas a parlamentares no ano eleitoral, com valor global ainda a ser definido quando da discussão da Lei Orçamentária Anual (LOA).

 

“Votei contra porque o Governo esfarelou o orçamento. Essa LDO é a maior vergonha que o estado brasileiro já votou. Do jeito que está, nós estamos numa situação muito grave no país onde você não vai ter dinheiro para nada. Esse governo não vai ter dinheiro pra nada. Mas vai ter apoio na Câmara e no Senado”, criticou Rosa Neide.

 

A parlamentar salientou não ser contra a existência do fundo eleitoral, apontando que é o financiamento público de campanha que permitiu a uma professora, como ela, se candidatar a um cargo eletivo.

Leia Também:  Ex-deputado Daltinho recorre ao STF para anular condenação de 5 anos de prisão em MT

 

No entanto, a petista criticou o aumento da verba em razão do momento pelo qual o Brasil passa no momento.

 

“Sou contra o aumento. Você triplicar o fundo eleitoral em um momento de crise como esse, no momento sofrido do povo brasileiro”, afirmou.

 

Para Rosa Neide, apesar do fundo eleitoral ter “roubado a cena” na mídia, o mais grave da LDO é o orçamento secreto, as chamadas emendas do relator, em que o relator-geral do Orçamento e as comissões do Congresso podem remanejar verbas de ministérios para projetos indicados por parlamentares.

 

Deputados de oposição vêem a medida ser usada como uma forma de barganha para favorecer parlamentares da base, principalmente em razão da proximidade das eleições.

 

“Ano passado, o Governo deixou R$ 30 bilhões à mercê dos deputados e senadores para dividir. Aí esse ano foi ainda mais grave, porque eles deixaram ilimitado. Então, as pessoas fazem o que querem. Pegam o orçamento e picam”, criticou.

 

Segundo Rosa Neide, a existência do “orçamento secreto ilimitado” poderá comprometer até mesmo os projetos tocados pelos ministérios e, com isso, o presidente deixa nas mãos dos congressistas a destinação das verbas do país para os projetos de sua escolha.

Leia Também:  STF ADIA CASO LULA PARA 2019 E EX-PRESIDENTE PASSA FIM DE ANO EM CURITIBA

 

Ano passado, o Governo deixou R$ 30 bilhões à mercê dos deputados e senadores para dividir. Aí esse ano foi ainda mais grave, porque eles deixaram ilimitado

“O Governo Federal fica sem recurso nenhum. Não é o presidente da República e os ministros que comandam o orçamento, é a Câmara e o Senado. Isso não é papel do Parlamento. Estou lá para fazer as leis, fiscalizar investimentos, não para direcionar recursos”, afirmou.

 

De acordo com a deputada, o presidente da República abriu mão da autonomia do Orçamento sendo que o país não vive um regime parlamentarista.

 

“O Brasil é presidencialista. Se fosse parlamentarista, teria um projeto atrás desse Orçamento aprovado, colado em cada obra. Agora não. O projeto é do presidente, porque são dos ministérios, mas ele não tem controle sobre o dinheiro”, afirmou.

 

“Esse é um ponto gravíssimo e em ano eleitoral, ainda. A oposição queria salvar a pele do Governo, deixar o dinheiro lá. Ele não vai ter dinheiro para investir em nada, mas terá apoio na Câmara e no Senado. É isso”, completou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA