Política

CUT e coletivo de cristão repudiam retirada de outdoors contra Bolsonaro

Publicados

Política

A Central Única dos Trabalhadores em Mato Grosso (CUT-MT) e o Coletivo Cristãos e Política emitiram notas de repúdio às ações de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que impediram campanha contra o chefe de Estado veiculada em outdoors da cidade de Sinop (500 km ao norte de Cuiabá).

Em seu comunicado, a CUT prestou solidariedade à vereadora Graciele Marques dos Santos (PT), que recebeu ameaças após grupos pró-governo terem a associado à instalação das mensagens contra Bolsonaro.

“A CUT-MT denuncia que tais ataques são o mais puro reflexo de grupos que se guiam fanaticamente pela narrativa recorrente do Presidente da República e que, sem qualquer cerimônia, se manifestam com violência a qualquer que se oponha ao seu “deus” Bolsonaro”, cita trecho da nota.

Já no comunicado emitido pelo Coletivo Cristão e Política, o grupo apontou que as pessoas contrárias ao ato agem de forma “covarde e criminosa”, uma vez que atuariam contra a “liberdade de manifestação, expressão e opinião”.

“Repudiamos ainda toda forma de violência, de censura, de perseguição, de discriminação, de abuso de poder e de uso da Fé em Cristo Jesus com fins de opressão, repressão, exclusão e segregação social, política, econômica, de classe social, raça e religião”, apontou o grupo.

Os outdoors começaram a ser instalados no município na manhã de quinta-feira (27), com dizeres como “Cemitérios cheios, geladeiras vazias; governo ruim não salva vidas nem a economia”. Contudo, após intimidação de grupos pró-Bolsonaro, os outdoors foram retirados.

Veja a nota da CUT

“A Central Única dos Trabalhadores em Mato Grosso (CUT-MT) vem a público externar repúdio aos ataques proferidos contra a professora Graciele Marques dos Santos (PT), vereadora destacada do município de Sinop, em Mato Grosso. 

As ameaças se deram quando movimentos sociais e instituições da cidade se propuseram a colocar outdoors em diversos locais no município, com mensagens denunciando a negligência do governo federal frente à pandemia no país.

Grupos antidemocráticos, sem qualquer respaldo na realidade, atribuíram equivocadamente à vereadora Graciele a autoria da iniciativa e, além de praticarem atos de vandalismo destruindo os outdoors, ainda lançaram contra a parlamentar todo tipo de ofensas, incluindo ameaças de morte.

A CUT-MT denuncia que tais ataques são o mais puro reflexo de grupos que se guiam fanaticamente pela narrativa recorrente do Presidente da República e que, sem qualquer cerimônia, se manifestam com violência a qualquer que se oponha ao seu “deus” Bolsonaro.

O ato de destruir outdoors que continham mensagens anti-governo e ainda, as ameaças feitas sem mostrar o nome – típico da covardia fascista que quer sempre ir comendo pelas beiradas – apenas serve para arregalar nossos olhos, a crise em que estamos inseridos, seja ela política, econômica e social.

Seguiremos firmes, nos mantendo alertas e atuantes na constituição da resistência em favor da democracia neste país. Não nos intimidaremos e nem permitiremos que uma parlamentar, democraticamente eleita, seja ameaçada por grupos que refletem as características de seu líder Bolsonaro: autoritário, fascista, negacionista, racista, misógino, homofóbico e genocida. Este mesmo que conduz a crise sanitária de modo irresponsável e criminoso, acentua a crise econômica e cria uma crise política desnecessária, afetando de modo perverso os mais vulneráveis, com táticas diversionistas que enfraquecem as poucas medidas disponíveis para a contenção da covid-19.

À professora Graciele e sua família, manifestamos toda nossa solidariedade e apoio ao exercício parlamentar que a vereadora desenvolve no município.

O Brasil não tolerará mais um caso de violência política contra aqueles que, eleitos de forma soberana, fazem da função pública um espaço de defesa de ideias nobres e caras a toda a humanidade.

Defendemos a democracia e o respeito às mulheres! Vereadora Graciele, estamos com você!

Henrique Lopes – Presidente da Central Única dos Trabalhadores em Mato Grosso”.

Confira a nota do Coletivo Cristãos e Política

Leia Também:  Euclides defende telemedicina

“O Coletivo Cristãos e Política, formado por evangélicos/as de várias denominações residentes em diversos municípios de Mato Grosso e de outros estados, vem à público manifestar seu repúdio e veemente protesto contra a ação truculenta, violenta e criminosa de defensores do senhor Jair Messias Bolsonaro na cidade de Sinop -MT que, de forma covarde e criminosa, vem atuando contra a LIBERDADE DE MANIFESTAÇAO, EXPRESSÃO E DE OPINIÃO de cidadãos, profissionais da educação e militantes partidários que discordam da gestão do atual ocupante do cargo de Presidente da República do Brasil.

Os ataques contra direitos constitucionais e as liberdades cidadãs democráticas são inaceitáveis e devem receber das autoridades competentes do Ministério Público e Judiciário, uma resposta imediata a fim de que tais práticas não se alastrem ainda mais, deflagrando outros focos de violência e crimes contra indivíduos, empresas e contra o Estado Democrático de Direito.

Diante do absurdo da violência dos atos praticados pelos partidários do senhor Jair Bolsonaro, inclusive por parte daqueles que se declaram Cristãos e que divergem em comportamento e atitudes do próprio Jesus Cristo agindo para envergonhar o Evangelho em todos os seus princípios. Nós, discípulos do Cristo Jesus, O Cordeiro de Deus, aquele que prega a paz entre os homens, o respeito a vida, a Liberdade verdadeira, o livre exercício da fé, o respeito às diferenças e a igualdade entre os povos, nos solidarizamos e manifestamos nosso total apoio às vítimas das arbitrariedades nas figuras institucionais da Liga das Mulheres pela Adufmat (sindicado dos professores da UFMT),  Adunemat (sindicato dos professores da Unemat) e da vereadora  professora Graciele.

Repudiamos ainda toda forma de violência, de censura, de perseguição, de discriminação, de abuso de poder e de uso da Fé em Cristo Jesus com fins de opressão, repressão, exclusão e segregação social, política, econômica, de classe social, raça e religião.

Que a Paz e a Graça de Jesus Cristo seja com todos os homens de boa vontade”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

DEM busca 5 cadeiras na Assembleia e 2 na Câmara

Publicados

em

Além de reeleger o governador Mauro Mendes, o presidente municipal do Democratas (DEM) e secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Beto Dois a Um, antecipou que a sigla trabalha para tentar conquistar 5 cadeiras na Assembleia Legislativa e 2 na Câmara de Deputados nas eleições de 2022. Nesta semana, o gestor comentou sobre as articulações políticas e enfatizou que a legenda tenta estruturar uma chapa forte para o próximo pleito.
“Vamos trabalhar para construir uma chapa forte para eleger 5 deputados estaduais e 2 deputados federais. Vamos manter o DEM no trilho da boa política para fazer o diálogo com a sociedade”, disse.
No mês passado, lideranças Democratas se reuniram pela primeira vez para debater sobre as eleições de 2022. O encontro aconteceu após forte pressão dos irmãos Júlio e Jayme Campos, que são os principais protagonistas da base executiva da legenda.

Na ocasião, além de discutirem sobre a estruturação da chapa de deputados federais e estaduais, os dirigentes também debateram sobre a eventual reeleição do governador Mauro Mendes (DEM). “Ficou estabelecido que vamos caminhar fortemente para que o governador saia candidato à reeleição, entendemos que os números dessa gestão vem trabalhando e os resultados que ela vem dando são o maior cabo eleitoral para o governador”, complementou.

Leia Também:  Dois bancos foram multados nesta segunda-feira por aglomerações em Barra do Garças

Por fim, Beto disse ainda que o partido não pensa em lançar candidato para a disputa ao Senado, justamente por já ter o senador Jayme Campos como representante do partido em Brasília. Com isso, a legenda prevê fechar uma aliança política para apoiar um outro nome.

“Eu imagino que talvez a vaga do Senado venha por uma composição pra que a gente amplie nosso arco de alianças aí”, finalizou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA