Política

Jayme vê falha na compra de vacinas por Bolsonaro: “Demorou muito”

Senador citou passeios de presidente e “pendenga” com países fornecedores de insumo

Publicados

Política

O senador Jayme Campos (DEM) fez duras críticas à gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em meio à pandemia da Covid-19. Ele afirmou que Bolsonaro focou em atacar os países asiáticos, demorou para comprar vacinas e subestimou o vírus.

O Governo Bolsonaro é alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado Federal, que investiga suas ações no enfrentamento na pandemia, bem como a aplicação de recursos federais relativos por estados e municípios.

Segundo Jayme, houve uma série de fatores para que a pandemia no Brasil chegasse aos números alarmantes – com quase 500 mil mortos. O principal deles, a demora na aquisição das vacinas contra a Covid-19.

CPI investiga as ações do Governo Federal no enfrentamento à Covid-19, bem como a aplicação de recursos federais relativos à pandemia por estados e municípios.

“Demorou muito. Essa pendenga que ele fica todo dia falando da China e da Índia é muito ruim. A Índia que vende os insumos para o Governo Brasileiro. E isso tem trazido atraso na vacinação”, disse.

Leia Também:  Com apoio da Prefeitura de Canarana, Indígenas Xavante realizam colheita de cerca de 10 toneladas de milho

“Vacinou pouco mais de 45 milhões com a primeira dose, e 25 milhões da segunda dose. Poderíamos estar bem avançados e com isso evitado milhares de óbito”, acrescentou.

Subestimou a pandemia

Jayme ainda apontou que houve uma “falha estratégica” do Governo Federal quanto a condução da pandemia. Para ele, o presidente subestimou o vírus.

“Houve uma falta de estratégia, de planejamento e talvez de subestimar a pandemia. As pessoas acham que eu sou contra o presidente Bolsonaro. Eu não sou contra, eu não coaduno com a maneira que ele age”, disse.

“Andar de bote com aglomeração, fazendo carretas, sem nenhum equipamento que possa esta evitando [a proliferação da Covid]”, emendou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

DEM busca 5 cadeiras na Assembleia e 2 na Câmara

Publicados

em

Além de reeleger o governador Mauro Mendes, o presidente municipal do Democratas (DEM) e secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Beto Dois a Um, antecipou que a sigla trabalha para tentar conquistar 5 cadeiras na Assembleia Legislativa e 2 na Câmara de Deputados nas eleições de 2022. Nesta semana, o gestor comentou sobre as articulações políticas e enfatizou que a legenda tenta estruturar uma chapa forte para o próximo pleito.
“Vamos trabalhar para construir uma chapa forte para eleger 5 deputados estaduais e 2 deputados federais. Vamos manter o DEM no trilho da boa política para fazer o diálogo com a sociedade”, disse.
No mês passado, lideranças Democratas se reuniram pela primeira vez para debater sobre as eleições de 2022. O encontro aconteceu após forte pressão dos irmãos Júlio e Jayme Campos, que são os principais protagonistas da base executiva da legenda.

Na ocasião, além de discutirem sobre a estruturação da chapa de deputados federais e estaduais, os dirigentes também debateram sobre a eventual reeleição do governador Mauro Mendes (DEM). “Ficou estabelecido que vamos caminhar fortemente para que o governador saia candidato à reeleição, entendemos que os números dessa gestão vem trabalhando e os resultados que ela vem dando são o maior cabo eleitoral para o governador”, complementou.

Leia Também:  Com apoio da Prefeitura de Canarana, Indígenas Xavante realizam colheita de cerca de 10 toneladas de milho

Por fim, Beto disse ainda que o partido não pensa em lançar candidato para a disputa ao Senado, justamente por já ter o senador Jayme Campos como representante do partido em Brasília. Com isso, a legenda prevê fechar uma aliança política para apoiar um outro nome.

“Eu imagino que talvez a vaga do Senado venha por uma composição pra que a gente amplie nosso arco de alianças aí”, finalizou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA