Política

Jornalista Laice Souza é a primeira mulher a assumir a Secretaria de Comunicação de MT

Secom voltou a ser Secretaria de Estado nesta semana.

Publicados

Política

A jornalista Laice Souza foi empossada, nessa sexta-feira (16), como secretária de Estado de Comunicação de Mato Grosso. Ela é a primeira mulher a assumir o posto.

A cerimônia contou com a participação do governador Mauro Mendes, de secretários de Estado, servidores e profissionais de comunicação.

Até então, a Secom era uma adjunta da Casa Civil, comandada pelo secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e agora passa a ser secretaria de Estado.

“A demanda da Comunicação é muito grande e essa mudança vai desafogar as atribuições da Casa Civil, que são muitas. Quero agradecer ao Mauro Carvalho pelo belo trabalho que ele desempenhou no período que ele acumulou essa função. Hoje as notícias circulam muito rápido, temos muitas entregas ocorrendo e muitas vezes não conseguimos repercutir todas, além do constante combate às fake news. Essa mudança vai trazer uma comunicação ainda melhor para a sociedade”, afirmou o governador.

O secretário Mauro Carvalho destacou que a mudança da Secom de adjunta para secretaria de Estado não terá nenhum impacto financeiro.

Leia Também:  Juiz Federal quebra sigilo de ex-conselheiro Alencar Soares atrás de R$ 2,5 milhões desviados da AL para negociata

“Não haverá nenhum aumento de despesa. A Secom hoje está estruturada, articulada, equipada e merece ser uma secretaria. A Laice conquistou este espaço pela sua dedicação e trabalho, pois não é uma tarefa fácil”, destacou.

A secretária Laice Souza agradeceu a confiança do governador e do secretário Mauro Carvalho e ressaltou o avanço na qualidade dos trabalhos desempenhados pela Secretaria.

“Melhoramos muito, passamos a inovar na forma de fazer comunicação, levando as informações de uma maneira mais próxima da população. Me sinto muito honrada por ser a primeira mulher a ser secretária de Estado de Comunicação no dia que a Secom volta a ser secretaria. E se eu consegui estar aqui hoje, é porque tenho minha família como base, é porque nossos servidores têm nos ajudado e feito a Secom mostrar a sua importância”, pontuou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Max critica candidatura de ministro “forasteiro” ao Senado em MT

Deputado diz que Estado possui bons nomes para disputa e não vê chance para Tarcísio de Freitas

Publicados

em

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), criticou a possibilidade aventada nos bastidores de o ministro dos Transportes, Tarcísio de Freitas, sair candidato ao Senado por Mato Grosso nas eleições de 2022.

 

Em entrevista ao Estadão nesta semana, Tarcísio confirmou que pode sair candidatar por Mato Grosso. No próximo ano, apenas uma vaga estará disponível.

“Nada contra a pessoa do ministro. Eu o respeito, mas trazer alguém de outro Estado, de fora de Mato Grosso para ser candidato no nosso Estado? Não vejo essa possibilidade, não acredito nisso”, afirmou.

“E o meu posicionamento será contra qualquer encaminhamento nesse sentido”, acrescentou.

 

Ainda que Tarcísio não seja do seu grupo político, Russi diz ser contra a ideia porque o Estado possui bons quadros em diversos partidos com capacidade suficiente para disputar a vaga, sem a necessidade de “importar” um nome de fora para representá-lo.

 

“Sinceramente, acho que teremos bons candidatos. Temos mais de 3 milhões de mato-grossenses, mais de 1,5 milhão de mato-grossenses com condições de disputar o Senado”, disse.

Leia Também:  Secretário destaca guerra das facções contra a sociedade em formatura do Gefron

 

“[São pessoas] que moram em Mato Grosso, que gastam no mercado em Mato Grosso, que ajudam no progresso do Estado. E qualquer uma dessas pessoas pode ser candidata ao Senado, ao Governo, a deputado, a qualquer cargo”, pontuou.

 

Candidato bolsonarista

 

O ministro Tarcísio de Freitas já admite que deverá disputar as eleições de 2022 apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele estaria aguardando a filiação do presidente a uma legenda para seguir o mesmo destino.

 

A ideia é que ele concorra por São Paulo ou algum estado cuja economia esteja atrelada ao agronegócio, como é o caso de Mato Grosso e Goiás.

 

Em Mato Grosso, até então o nome do deputado federal José Medeiros – que é vice-líder do Governo na Câmara Federal – era defendido pelo presidente para a disputa ao Senado.

 

Ao MidiaNews, porém, ele afirmou que se Tarcísio sair candidato no Estado, poderá fazer uma “dobradinha” bolsonarista e concorrer ao Palácio Paiaguás.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA