Política

“LEGISLANDO EM CAUSA PRÓPRIA” Mesa diretora da Câmara de Araguainha aumenta regalias para vereadores em diárias e verba indenizatória que chega a 200%

Com repasse mensal de mais de R$ 108 mil reais, o presidente da Câmara Alex Clemente Mendes, alegou que o assunto é inverídico, que não houve reajuste de salário para os vereadores, mas apenas reajuste de verba indenizatória, que a sua VI por ser presidente foi reajustada um “pouquinho” a mais. Alex disse ainda que essa história de pedidos de explicação por parte do MP é Fake News e que desconhece tal documento, se contradiz ao afirmar que a lei é de autoria do executivo (Documentos abaixo). O presidente da Câmara também não explicou porque não estendeu esse reajuste para os servidores do legislativo.

Publicados

Política

Alex Clemente Mendes, Presidente da Câmara de vereadores de Araguainha.

O Ministério Público Estadual, através do promotor de justiça Frederico César Batista Ribeiro, tomou ciência de uma suposta farra com o dinheiro público na Câmara Municipal de Araguainha, e requereu informações através do ofício nº 125/2023-SIMP nº 000444-031/2023 dando dez (10) dias de prazo para que fosse informado acerca de um aumento supostamente escandaloso referente a diárias e verba indenizatórias inclusa ao salário de vereadores.

No documento o representante do MP mira principalmente nos vereadores Alex Clemente Mendes e Luiz Claudio de Souza, conhecido por Careca, ambos presidente e secretário da mesa diretora, que usaram o regimento interno do legislativo para orquestrar alteração da Lei 781/2016 e alguns artigos e incisos, que regulamenta a criação de verba indenizatória (VI) no âmbito da Câmara Municipal de Araguainha.

Segundo informações obtidas pelo Notícia dos Municípios, bastou a nova mesa diretora sob a regência dos dois vereadores acima citados tomar posse no dia 01.01.2023 que em tempo recorde ela concedeu reajuste salarial a si próprios, em alguns casos esse valor chega a 200%. Para não assumir desgaste político sozinhos eles ainda concederam aumento nos valores das diárias para todo o executivo.

Para se ter uma ideia até mesmo o valor das diárias para viajar para Brasília que antes era de R$ 350 reais,  dobrou para R$ 700, valores exorbitantes e que não são pagos até mesmo por Câmaras Municipais de algumas cidades do Estado cuja receita mensal é dez vezes maior que a local.

Em 2022 a verba indenizatória do legislativo era de R$ 900,00, com a posse da nova mesa diretora esse valor a partir de fevereiro de 2023 subiu para R$ 2.500.  A regalia maior ficou para o presidente da Câmara que antes recebia R$ 2.700,00 e passou a receber R$ 3.750 reais.

Lei municipal nº 981/2023 de autoria da mesa diretora da Câmara que aumenta a VI.

Outra novidade enfiada goela abaixo da sociedade e que deixou a população pasmada foi o fato do secretário da Câmara que antes não recebia nenhum centavo para ocupar a função passar a ganhar mais R$ 2.500 reais mensalmente para engordar seu salário, cargo que passou a ser ocupado pelo vereador Luiz Cláudio, o popular Careca.

Leia Também:  Emenda de Jayme Campos juros em empréstimos prorrogados no PRONAF durante pandemia

No documento o promotor de justiça também determina que sejam enviados todos os documentos comprobatórios para saber se houve previsão orçamentária para realizar tal aumento.

A suposta “mamata” financeira chama atenção da justiça, principalmente da população simples e hospitaleira da pacata Araguainha que ao longo dos anos veem o município enfrentar dificuldades financeiras para investir em políticas públicas, obras sociais, educação, infraestrutura e principalmente na saúde da sua população.

Ordinariamente a Câmara Municipal se reúne apenas duas vezes por mês em sessão ordinária para apreciação e aprovação de matérias e raramente para reuniões de comissões, ou seja; aos olhos da sociedade trabalham pouco e recebem muito pelo que fazem. Com o novo aumento somando salário, diárias e verbas indenizatórias, o montante é de causar indignação em qualquer cidadão comum que paga seus impostos para ver a cidade crescer e se desenvolver.

Documentos enviados pelo MP ao executivo pedindo explicações sobre a iniciativa da Câmara.

Entre as principais responsabilidades de um vereador está elaborar e propor leis, promover, decidir e criar políticas públicas que vem de encontro aos anseios da sociedade, fiscalizar os gastos do dinheiro público pelo executivo e analisar a Lei Orçamentária Anual (LOA) que estabelece as despesas do ano seguinte do município.

Na cidade alguns apostam que no ponto de vista jurídico o ato pode até ser legal, mas no ponto de vista político e social é imoral, pelas ruas e redes sociais o assunto virou chacota entre alguns munícipes que arriscam dizer que tal atitude é escandalosa, imoral, vergonhoso e irresponsável, devido a realidade financeira do município.

O que também chamou atenção da população e enojou alguns munícipes foi o fato de apenas os vereadores terem seus salários super reajustados, enquanto que os servidores concursados da Câmara Municipal ficaram a ver navios, ou seja, não tiveram um centavo de aumento.

Segundo informações repassadas todo o dia 20 de cada mês, a Prefeitura de Araguainha repassa religiosamente para a Câmara Municipal o montante de R$ 108. 333,34 (Cento e oito mil trezentos e trinta e três reais e trinta e quatro centavos) de duodécimos constitucionais para ser gasto com pagamentos de salários e demais despesas.

Leia Também:  Ibope mostra liderança de Taques, mas indica que MT terá 2 turnos em 2018

MESA “DOS SONHOS”

Nunca na história do município emancipado em 24 de fevereiro de 1964 e que tem como padroeiro São José Operário, o legislativo remunerou tão bem um presidente de Câmara, e agora também o 1º secretário com gordas regalias.

Outro assunto um tanto quanto curioso e que também se comenta pela cidade foi o fato do vereador Alex Clemente, que minutos antes da eleição para a escolha da nova mesa diretora estar compondo a chapa encabeçada pelo vereador Arnaldo, em “passe de mágica” após 5 minutos em uma conversa reservada em uma sala já saiu de lá candidato a presidente com exato 5 votos, o dele e o da oposição, ou seja a presidência caiu de mãos beijadas em seu colo.

O OUTRO LADO

Nossa redação entrou em contato com o presidente da Câmara vereador Alex Mendes para ela dar sua versão sobre o assunto, o Edil informou que “tudo é inverdade e picuinhas”, disse ainda que foi aumentado apenas a verba indenizatória que pode ser aumentada em até 60% e não o salário dos vereadores, disse ainda que a VI do presidente foi um “pouquinho” a mais.

Ele alegou também que essa história do promotor Frederico César Batista ter pedido explicações sobre os reajustes é Fakenes, disse ainda que a Câmara aproveitou o momento para reajustar os valores das diárias não apenas do legislativo, mas também do executivo que no seu entender estavam defasadas.

Até o fechamento desta edição por volta das 14.00h desta terça-feira (11) o presidente do legislativo não havia respondido o restante das nossas perguntas, do porque o secretário da Câmara passou a ganhar mais R$ 2.500 reais apenas por ocupar a função na mesa, se acha justo receber valores exorbitantes devido a realidade financeira do seu município para se reunir apenas duas vez por mês, e porque esse reajuste não foi estendido também para os servidores da Câmara Municipal.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Ex-prefeito revela que renunciou em VG após chantagem por dívida de R$ 4 milhões

Zaeli alega que débito da época de Nereu não era republicano

Publicados

em

O ex-prefeito de Várzea Grande, Sebastião Reis, conhecido como Tião da Zaeli (PL), revelou que renunciou ao cargo em 2012 por estar sendo chantageado e extorquido pela Câmara de Vereadores. Além disso, ele negou que tenha feito da cidade um “balcão de negócios”, bem como afirmou não ser inimigo da Família Campos, mas que não concorda com a forma que o grupo político conduz a gestão do município há mais de meio século.

Tião da Zaeli é o vice na chapa da pré-candidata do Partido Liberal, a empresária e advogada Flávia Moretti. Ele já foi prefeito da cidade por um ano e dois meses ao assumir o Paço Couto Magalhães no lugar de Murilo Domingos em 2011 e renunciou em outubro de 2012 logo após não conseguir ser reeleito.

Ao portal Veja Bem MT, ele revelou o motivo da renúncia. “Eu renunciei porque eu estava sendo extorquido. Apareceu uma conta lá, na época de R$ 4 milhões. Me falaram que era um resto a pagar. Eu nem não me inteirei do que seria porque eu vi que não era republicano. Era uma falcatrua e o pessoal estava querendo me obrigar a pagar uma conta da época do prefeito Nereu Botelho (anos 90). Eu não aceitei e começou a virar uma confusão. Levantaram uma Comissão Processante porque, segundo os vereadores, eu não tinha me afastado de uma empresa que eu tinha. Fizeram essa chantagem e eu, muito aborrecido, tinha acabado de perder eleições e não tinha apego ao cargo e entreguei”, revelou o bolsonarista, que acabou sendo substituído à época pelo presidente da Câmara, o então vereador Maninho de Barros (PSD).

Como de costume, o ex-gestor não poupou críticas à atual gestão de Kalil Baracat (MDB) e colocou até o vice-prefeito, José Anderson Hazama (UB), que é seu ex-cunhado, no meio ao comentar que “ninguém o conhece porque ele nunca teve oportunidade para sentar lá”. Além disso, voltou a dizer que Baracat não administra a cidade e que é um mero “gerente” do senador Jayme Campos (UB).

“Eu queria até entender por que tanto apego naquela cadeira. Ali é uma turbulência danada, mas a gente devagarzinho sabe por quê. Quem manda em Várzea Grande? O prefeito não manda. Isso eu tenho certeza. Todas demandas que levam a ele, ele posterga para dar a resposta depois. Eu falei e vou repetir: o senador está com desvio de função porque ele é senador e prefeito ao mesmo tempo”, ironizou Zaeli.

Leia Também:  Mauro e Pivetta viajam à Bolívia e presidente da AL assume o Governo de MT

Apesar disso, o empresário negou ser inimigo do congressista ou de qualquer membro de sua família, mas sim adversários políticos. “Nós somos adversários políticos e temos bastante conflitos de ideias com relação à política e com relação à situação de Várzea Grande. Eu posso falar assim porque não fiz da política uma carreira, eles se tornaram carreiristas na política e eu não, respeito ele como cidadão, como pai, como avô”, afirmou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA