Política

RETRATO DO BRASIL- Postos tem fila de clientes abastecendo com medo de acabar combustível

Motoristas decidiram abastecer com receio de acabar o combustível devido aos bloqueios nas rodovias.

Publicados

Política

Com medo de desabastecimento, as cidades de Sinop e Sorriso, no norte de Mato Grosso, já registram filas em postos de combustíveis, nesta quarta-feira (8). O motivo da procura se dá por conta da paralisação dos motoristas.

A esteticista de Sinop, Rosangela Guerra, foi um das pessoas que correram em busca de combustível. “Eu vi que ia ter racionamento de combustível por causa dos bloqueios”, disse.

Já a veterinária Larissa Jonasson destacou que Sinop é uma cidade extensa e que por isso os moradores dependem de muito combustível para se locomoverem.

Devido à grande procura, os postos já estão com dificuldade de manter os estoques. A situação da região norte tem sido monitorada de perto pelo Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis de Mato Grosso (Sindipetróleo).

O sindicato diz que não há falta de abastecimento dos combustíveis e destacou que algumas revendedoras citaram demora na reposição do estoque.

O Sindipetróleo destacou ainda que a falta de uma coordenação única das manifestações dificultam o monitoramento para saber se há passagem de caminhões-tanques.

Leia Também:  Riva e Bosaipo viram réus por suposto de desvio de R$ 2,2 mi
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Max critica candidatura de ministro “forasteiro” ao Senado em MT

Deputado diz que Estado possui bons nomes para disputa e não vê chance para Tarcísio de Freitas

Publicados

em

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), criticou a possibilidade aventada nos bastidores de o ministro dos Transportes, Tarcísio de Freitas, sair candidato ao Senado por Mato Grosso nas eleições de 2022.

 

Em entrevista ao Estadão nesta semana, Tarcísio confirmou que pode sair candidatar por Mato Grosso. No próximo ano, apenas uma vaga estará disponível.

“Nada contra a pessoa do ministro. Eu o respeito, mas trazer alguém de outro Estado, de fora de Mato Grosso para ser candidato no nosso Estado? Não vejo essa possibilidade, não acredito nisso”, afirmou.

“E o meu posicionamento será contra qualquer encaminhamento nesse sentido”, acrescentou.

 

Ainda que Tarcísio não seja do seu grupo político, Russi diz ser contra a ideia porque o Estado possui bons quadros em diversos partidos com capacidade suficiente para disputar a vaga, sem a necessidade de “importar” um nome de fora para representá-lo.

 

“Sinceramente, acho que teremos bons candidatos. Temos mais de 3 milhões de mato-grossenses, mais de 1,5 milhão de mato-grossenses com condições de disputar o Senado”, disse.

Leia Também:  Riva e Bosaipo viram réus por suposto de desvio de R$ 2,2 mi

 

“[São pessoas] que moram em Mato Grosso, que gastam no mercado em Mato Grosso, que ajudam no progresso do Estado. E qualquer uma dessas pessoas pode ser candidata ao Senado, ao Governo, a deputado, a qualquer cargo”, pontuou.

 

Candidato bolsonarista

 

O ministro Tarcísio de Freitas já admite que deverá disputar as eleições de 2022 apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele estaria aguardando a filiação do presidente a uma legenda para seguir o mesmo destino.

 

A ideia é que ele concorra por São Paulo ou algum estado cuja economia esteja atrelada ao agronegócio, como é o caso de Mato Grosso e Goiás.

 

Em Mato Grosso, até então o nome do deputado federal José Medeiros – que é vice-líder do Governo na Câmara Federal – era defendido pelo presidente para a disputa ao Senado.

 

Ao MidiaNews, porém, ele afirmou que se Tarcísio sair candidato no Estado, poderá fazer uma “dobradinha” bolsonarista e concorrer ao Palácio Paiaguás.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA