Política

Servidor de carreira, ex-vereador escapa de demissão ao devolver R$ 46 mil em MT

Israel Sebastião Tenório foi cassado do mandato em Lambari D”Oeste acusado de furtar cartão de idoso

Publicados

Política

Um acordo de não persecução penal firmado com o Ministério Público Estadual (MPE), incluindo pagamento de R$ 46,6 mil por causa de um prejuízo de R$ 12 mil causado a um idoso  que ele furtou o cartão e ainda a suspensão de seus direitos políticos por 5 anos. Foram estas penalidades já aplicadas ao servidor público, Israel Sebastião Tenório, de 40 anos, que evitaram sua demissão do cargo de técnico de enfermagem no município de Lambari D’Oeste (339 km de Cuiabá).

A decisão final da Comissão Processante que atuou no Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado em 2021 contra o servidor público opinou pelo arquivamento e absolvição deixando claro que a punição recebida por ele já teve o caráter pedagógico necessário. Vale ressaltar que Israel sofreu outra punição na esfera política: a cassação do mandato de vereador por Lambari D’Oeste que conquistou nas eleições de outubro de 2020, quando foi eleito com 106 votos, filiado ao partido PSD.

O PAD foi instaurado para apurar a conduta do servidor que praticou um furto qualificado pelo abuso de confiança contra um idoso durante um exame. À ocasião, o técnico de enfermagem solicitou à vítima que permanecesse por 15 minutos com os olhos fechados. Após a consulta, o idoso J.S.S, não encontrou mais seu cartão. Depois, no momento do bloqueio, descobriu que já tinham sido efetuados vários saques em sua conta bancária, totalizando R$ 12 mil.

Em relação ao resultado pela absolvição, os responsáveis pelo PAD afirmam que se a decisão está embasada no Estatuto dos Servidores Públicos de Lambari D’Oeste (Lei Complementar n. 25/2006). “Diante disso, tendo em vista as circunstâncias do caso concreto, especialmente a confissão e a reparação dos danos por parte do acusado, aliado, ainda, ao excelente desempenho profissional dele no cargo de técnico de enfermagem durante todo o período em que laborou no serviço público, recomenda-se a sua absolvição, em primazia aos princípios da razoabilidade e da proporcionalidade”, diz trecho da decisão publicada no Diário Oficial dos Municípios (AMM).

Leia Também:  CANARANA- Sob efeito de droga, ladrões invadem casa, agridem moradora e acabam presos pela PM

O relatório do processo administrativo disciplinar informa que o acusado apresentou defesa escrita, confessando os fatos imputados contra si nos autos do inquérito policial instaurado em 2021. Ele também apresentou os termos do acordo de não persecução penal e cível firmado junto ao Ministério Público da Comarca de Rio Branco (356 km da Capital), se responsabilizando a realizar o depósito judicial de R$ 1.100 até o dia 1º de março de 2022, para posteriormente serem destinados a entidade pública ou de interesse social a ser indicada pelo Juízo da execução.

Se comprometeu ainda ao pagamento integral do acordo firmado com a vítima, consistente no adimplemento de R$ 33 mil, sendo R$ 25 mil pagos mediante transferência de um imóvel e mais R$ 8 mil através de transferência bancária. Prevê ainda a suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos, a contar da homologação judicial do acordo, que não poderá gerar prejuízo ao desempenho do atual cargo mandato de vereador, até o final do atual período legislativo para o qual foi eleito em 2020. Outro compromisso assumido foi o pagamento de multa civil no valor cinco vezes a remuneração líquida recebida por ele, que totaliza R$ 12,5 mil 95,80,  que serão destinados ao Município de Lambari D’Oeste.

Os membros da Comissão Processante observaram que ficou confirmado que o servidor praticou o furto qualificado e confessou a infração. No entanto, reparou os danos causados e tem a seu favor mais de cinco anos de serviços com exemplar comportamento e zelo,  circunstâncias estas que atenuam uma possível responsabilização. Afirmaram que foram levados em conta os princípios da razoabilidade e proporcionalidade e pontuaram que as esferas administrativa, civil e penal são independentes, “de modo que ainda que o fato constitutivo da infração tenha sido objeto de acordo no âmbito criminal e cível, o acusado pode perfeitamente ser absolvido na esfera administrativa”.

Leia Também:  Moro pede demissão após troca na PF, e Bolsonaro tenta reverter

“Diante disso, infere-se que o acusado, apesar de ter causado um prejuízo de R$ 12.000,00 a vítima, acabou sendo penalizado ao pagamento de R$ 46.695,80 (quarenta e seis mil, seiscentos e noventa e cinco reais e oitenta centavos), considerando-se todas as obrigações assumidas por ele meio dos termos do acordo de não persecução penal e cível firmado junto ao Ministério Público da Comarca de Rio Branco, além da suspensão de seus direitos políticos pelo prazo de 05 (cinco) anos”, consta no PAD.

“Por tudo que foi exposto neste relatório, considerando os elementos probatórios que foram produzidos, a Comissão Processante recomenda a absolvição do servidor Israel Sebastião Tenório, arquivando-se o processo, tendo em vista que as penalidades que já lhe foram aplicadas em outras esferas se mostram suficientes para a reprovação da conduta adotada por ele”, diz trecho do relatório final da Comissão Processante.

CASSAÇÃO DE MANDATO

Em sessão realizada pela Câmara Municipal de Lambari D’Oeste no dia 14 de dezembro do ano passado, “Israel Enfermeiro”, como era conhecido no Parlamento, teve o mandato cassado por unanimidade em decorrência das investigações realizadas pela delegacia de Rio Branco relativas ao furto qualificado contra o idoso.

No relatório da Comissão Processante dentro do Legislativo Municipal foi mencionado o trabalho da Polícia Civil, no âmbito da Operação Luva Branca, como essencial para esclarecimento dos fatos. Israel alegou que foi “injustiçado” com a cassação do mandato eletivo, pois ele já havia ressarcido o idoso.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Eleitor pode regularizar título até 4 de maio

Publicados

em

Os eleitores que precisam regularizar o título eleitoral, solicitar transferência de endereço ou mesmo aqueles que desejam tirar a primeira via do documento, precisam se atentar ao prazo final. Esses procedimentos e qualquer outra alteração no cadastro eleitoral precisam ser feitos até o dia 04 de maio de 2022. A data, que corresponde a 151 dias antes do pleito deste ano, é estipulada para que a Justiça Eleitoral consiga organizar o pleito.

Qualquer uma destas solicitações pode ser feita pelo sistema TítuloNet. Basta preencher o requerimento online e aguardar o retorno da Justiça Eleitoral. O atendimento virtual é orientado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), no intuito de evitar aglomerações nos Cartórios Eleitorais, como medida de prevenção à Covid-19.

Clique aqui e confira o passo a passo do atendimento virtual. Os interessados também podem tirar dúvidas entrando em contato com os Cartórios Eleitorais, por telefone, e-mail ou WhatsApp, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. Há ainda o Disque Eleitor (0800 647-8191), cujo atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, entre 7h30 e 18h.

Leia Também:  Por unanimidade Câmara de São Felix do Araguaia aprova contas de gestão 2019 da prefeita Janailza Taveira

Títulos cancelados

Atualmente, cerca de 2,2 milhões de mato-grossenses estão em situação regular e poderão votar nas Eleições de 2022. Em contrapartida, 371.676 eleitores estão com os títulos cancelados por motivos que podem ser regularizados até a data final de 04 de maio. Deste total, 101.503 cancelamentos são decorrentes de ausência às urnas nos três últimos pleitos, e 270.173 por não comparecimento à revisão do eleitorado (isto é, não fizeram a biometria).

É importante ressaltar que a coleta biométrica continua suspensa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em função da pandemia de Covid-19, mas isso não impede a regularização da situação. Portanto, é fundamental que as pessoas procurem o atendimento virtual o quanto antes para poderem participar do processo eleitoral.

Sobre o pleito

As Eleições 2022 ocorrerão no dia 02 de outubro, das 8h às 17h, seguindo horário de Brasília (DF), com uniformização em todos os estados e no Distrito Federal, sem exceção. Ou seja, o pleito iniciará e encerrará ao mesmo tempo, de acordo com o fuso da capital federal. Neste ano, serão eleitos os candidatos a cargos políticos que representam a União, os estados e o Distrito Federal, ou seja: presidente e vice-presidente da República, senador, deputado federal, deputado estadual/distrital, governador e vice-governador.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA