Política

Taques cita vingança e diz ter orgulho de ser inimigo de Silval

Publicados

Política

O governador Pedro Taques (PSDB) voltou a criticar os trechos em que é citado na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB)

 

Em entrevista à revista IstoÉ Dinheiro, divulgada na segunda-feira (05), Taques disse que as citações de Silval são "vingança política". Ele chegou a classificar o grupo de "camarilha".

 

"A delação, ou colaboração premiada, é o melhor instrumento para você acabar com a corrupção. Eu defendo a delação, porque é muito importante para passar Brasil a limpo. No entanto, a delação não pode servir como instrumento de vingança de adversário político", afirmou.

 

"Como governador, determinei auditoria em todos os contratos e nos incentivos fiscais. Daí a razão de não ser bem visto por essa camarilha", disse em outro trecho da entrevista. 

 

A delação não pode servir como instrumento de vingança de adversário político

Taques afirmou, ainda, sentir "orgulho" de ter Silval como inimigo político. 

 

Ele, ainda, negou ter recebido dinheiro de caixa 2 da JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, conforme cita Silval na delação. 

Leia Também:  Emergência

 

"O ex-governador, que é meu inimigo, na sua delação disse que ouviu dizer que eu teria recebido caixa dois da JBS. Eu nunca recebi dinheiro de caixa dois da JBS ou de quem quer que seja", afirmou. 

 

"Esse cidadão roubou do Estado quase R$ 1 bilhão, até o tapete do Palácio foi levado, desapareceu. Agora fez um acordo, vai devolver R$ 70 milhões, uma fazenda no meio do mato, um avião velho, vai ficar na sua cobertura e joga para cima de todos. O cidadão de Mato Grosso me conhece e conhece o cidadão que faz a delação", disse.

 

Veja a entrevista completa no Link abaixo:

 https://www.youtube.com/watch?v=8WFutobIYFo

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Eleitor pode regularizar título até 4 de maio

Publicados

em

Os eleitores que precisam regularizar o título eleitoral, solicitar transferência de endereço ou mesmo aqueles que desejam tirar a primeira via do documento, precisam se atentar ao prazo final. Esses procedimentos e qualquer outra alteração no cadastro eleitoral precisam ser feitos até o dia 04 de maio de 2022. A data, que corresponde a 151 dias antes do pleito deste ano, é estipulada para que a Justiça Eleitoral consiga organizar o pleito.

Qualquer uma destas solicitações pode ser feita pelo sistema TítuloNet. Basta preencher o requerimento online e aguardar o retorno da Justiça Eleitoral. O atendimento virtual é orientado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), no intuito de evitar aglomerações nos Cartórios Eleitorais, como medida de prevenção à Covid-19.

Clique aqui e confira o passo a passo do atendimento virtual. Os interessados também podem tirar dúvidas entrando em contato com os Cartórios Eleitorais, por telefone, e-mail ou WhatsApp, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. Há ainda o Disque Eleitor (0800 647-8191), cujo atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, entre 7h30 e 18h.

Leia Também:  TRE manda COAF informar gastos e quer 'dossiê' fiscal de deputado federal eleito em MT

Títulos cancelados

Atualmente, cerca de 2,2 milhões de mato-grossenses estão em situação regular e poderão votar nas Eleições de 2022. Em contrapartida, 371.676 eleitores estão com os títulos cancelados por motivos que podem ser regularizados até a data final de 04 de maio. Deste total, 101.503 cancelamentos são decorrentes de ausência às urnas nos três últimos pleitos, e 270.173 por não comparecimento à revisão do eleitorado (isto é, não fizeram a biometria).

É importante ressaltar que a coleta biométrica continua suspensa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em função da pandemia de Covid-19, mas isso não impede a regularização da situação. Portanto, é fundamental que as pessoas procurem o atendimento virtual o quanto antes para poderem participar do processo eleitoral.

Sobre o pleito

As Eleições 2022 ocorrerão no dia 02 de outubro, das 8h às 17h, seguindo horário de Brasília (DF), com uniformização em todos os estados e no Distrito Federal, sem exceção. Ou seja, o pleito iniciará e encerrará ao mesmo tempo, de acordo com o fuso da capital federal. Neste ano, serão eleitos os candidatos a cargos políticos que representam a União, os estados e o Distrito Federal, ou seja: presidente e vice-presidente da República, senador, deputado federal, deputado estadual/distrital, governador e vice-governador.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA