BARRA DO GARÇAS

Política

Vereador Dimazão, uma história de luta e trabalho por Santo Antônio do Fontoura e Xingu

Publicados

Política

Vereador de São José do Xingu, Edimar Silverio da Silva, o popular Dimazão

Vereador por cinco mandatos e presidente do partido Democratas (DEM) no município de São José do Xingu, Edimar Silverio da Silva, o popular Dimazão, esta entre os políticos municipalistas que mais se destaca no Vale do Araguaia, graças aos seus relevantes serviços prestados a sua população, em especial do distrito de Santo Antônio do Fontoura, onde o vereador reside e participa do dia a dia da sua comunidade.

Sem nenhuma formação acadêmica e de linguajar sertanejo simples direto despachado e resumido, Dimazão é o estilo de político que a população gosta de conviver ao seu lado, seu jeito matuto somando sua experiência e traquejo, bem como o bom relacionamento que ele tem com os figurões da política em Brasília e Cuiabá tem resultado em melhorias em infraestrutura e qualidade de vida para sua população.

Foi devido a sua simplicidade e poder de articulação que ele se tornou um dos líderes políticos mais procurado e respeitado no município e também um dos principais articuladores de eleições vitoriosas de vários prefeitos em São José do Xingu, dentre elas a do atual prefeito, o advogado Sandro José Costa Luz (DEM).

Com capacidade fácil de somar e aglutinar, Dimazão conseguiu levar para sua sigla o DEM, o então pré-candidato a prefeito em 2020, Dr. Sandro, já no final dos últimos minutos para encerrar o prazo de filiação para disputar a eleição, o que culminou com uma frente vitoriosa denominada coligação ‘União Renovação e Desenvolvimento’.

Durante seus vinte anos de vida pública o parlamentar vem atuando em várias frentes de trabalho, principalmente na saúde, ação social e apoio aos pequenos e grandes produtores rurais da sua região, buscando melhorias e infraestrutura para todo seu município.

Em entrevista ao Notícia dos Municípios, o vereador Dimazão relembra algumas lutas travada por ele e alguns companheiros para a titularização definitiva por parte do governo do  Estado de 90 hectares de terra, o processo foi iniciado ainda em 2008, ocasião em que esteve por várias vezes em Cuiabá ladeado da então ex-prefeita Raquel Campos Coelho (PSD) levando documentos e cobrando das autoridades apoio para o pleito que envolve sua comunidade do Distrito de Santo Antônio do Fontoura.

Leia Também:  Presidenta do Consórcio CIDESAA Janailza Taveira percorre a MT-100 vistoria obras e pede celeridade na melhoria das estradas

Segundo o vereador em 2014 o projeto avançou e foram iniciadas as medições da área através da empresa RCA com sede em Araguaína-TO que resultou na liberação do Georeferenciamento da área através do projeto Terra Legal.

“Foram 13 anos de muitas lutas idas e vindas ate Cuiabá, conseguimos concluir essa luta somente no final da gestão do ex-prefeito Wanderley Soares da Silva (PL), o popular Nenên da Oficina, ocasião em que assinamos todos os documentos necessários para a entrega dos títulos, o que ocorreu somente agora na gestão do prefeito Dr. Sandro Costa, que participou apenas da elaboração do memorial descritivo da área”. Comemorou o vereador Dimazão.

Outras ações desenvolvidas pelo vereador e presidente do partido Democratas em 2021 foi a entrega de 100 Panetones para famílias carentes e mais 20 cestas básicas dentro de um projeto criado por ele denominado “Natal com Panetone”.

Em 2021 o vereador Edimar Silvério foi um dos parlamentares que mais fez indicações importante cobrando do executivo mais melhorias para a sede do município e para o distrito de Santo Antônio do Fontoura, ao todas foram aproximadamente 50 indicações e pedidos, entre elas destaca-se a indicação nº 04/2021 que solicita ao chefe do executivo municipal a viabilização junto aos órgãos governamentais para que fosse implantada a SEFAZ no Distrito de São José do Couto.

Somente em 2021 foram mais de trinta indicações e mais de quinze ofícios cobrando

Outras indicações importantes feitas pelo vereador foi cobrando do prefeito Sandro Costa, à iluminação do cemitério municipal do distrito de Santo Antônio do Fontoura, reboco do muro do cemitério, construção de uma cobertura no local para oferecer mais comodidades para a realização de velórios naquele recinto público, bem como a implantação de mais 1000 metros de rede de água tratada no distrito.

Leia Também:  Polícia Civil cumpre prisão de presidente da Câmara de Nova Nazaré por duplo homicídio em Rondônia

Pedidos indicando a construção de meios fios nas ruas paralelas a MT 437, construção de canteiros e plantio de gramas, reforma de escola, construção de quadra poliesportiva em Santo Antônio do Fontoura também estão entre suas reivindicações feitas pelo vereador em 2021.

Em atenção à classe produtora Dimazão também atuou diretamente para que fosse construídos bueiros em estradas rurais, encascalhamento e recuperação de vias que dão acessos às fazendas produtoras do município; a exemplo da Fazenda Matão, Santo Antônio de Pádua, Heloiza, São Paulo, Camaçari, Tamarana I e II e Fazenda Escondida.

O presidente municipal do Democratas também enalteceu sua sigla partidária, o DEM, a quem diz honrar e respeitar seus companheiros, desejou um ano novo cheio de bênçãos saúde e realizações a todos seus afiliados e lembrou do apoio recebido e das emendas dos companheiros de sigla; senador Jaime Campos, que liberou  R$ 600 mil para ser investido em infraestrutura e pavimentação asfáltica no município e do deputado estadual Dilmar Dal Bosco que liberou uma emenda no valor de R$ 250 mil para aquisição de um reservatório de água a ser implantado em Santo Antônio do Fontoura.

Segundo Dimazão são valores interessantes e que estão contribuindo com o brilho da gestão do prefeito Dr. Sandro (DEM). O vereador também lembrou de uma parceria firmada entre ele, o deputado estadual Faisal e o federal José Medeiros que resultou em mais R$ 200 mil reais para aquisição de um aparelho de ultrassonografia que já esta funcionando em seu município e esta a disposição da sua comunidade. Pontuou.


Vereador Dimazao e Prefeito Nenên da Oficina assinam documentos definitivo em 2018

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Eleições 2022: confira o que pode e não pode na propaganda eleitoral

Publicados

em

A propaganda nas Eleições 2022 está liberada a partir desta terça-feira (16). Mas candidatas e candidatos, partidos políticos, coligações e federações partidárias devem verificar o que a legislação eleitoral permite e proíbe durante a campanha, para não incorrerem em punições aplicadas pela Justiça Eleitoral.

Nas eleições deste ano, os mais de 156 milhões de eleitoras e eleitores aptos a votar vão escolher candidatas e candidatos aos cargos de presidente da República, governador, senador, deputado federal e deputado estadual ou distrital. O primeiro turno do pleito está marcado para o dia 2 de outubro e, eventual segundo turno, para o dia 30 de outubro.

As regras da propaganda eleitoral estão contidas na Resolução nº 23.610, que dispõe também sobre o horário gratuito e as condutas ilícitas na campanha.

Confira, a seguir, o que a legislação eleitoral autoriza e veda na propaganda eleitoral em geral:

PROPAGANDA NA INTERNET

Manifestação do pensamento

É livre a manifestação de pensamento da eleitora e do eleitor por meio da internet. No entanto, essa manifestação não pode ofender a honra ou a imagem de candidatas e candidatos, partidos, coligações ou federações partidárias, ou ainda se propagar notícias falsas.

A legislação permite a propaganda eleitoral em blogs ou páginas na internet ou redes sociais das candidatas e candidatos, partidos políticos, coligações ou federações, desde que seus endereços sejam informados à Justiça Eleitoral.

É proibido veicular qualquer tipo de propaganda eleitoral paga na internet. A exceção é o impulsionamento de conteúdo, que deverá estar identificado de forma clara e ter sido contratado, exclusivamente, por candidatas, candidatos, partidos, coligações e federações partidárias ou pessoas que os representem legalmente.

A propaganda eleitoral paga na internet deverá ser assim identificada onde for divulgada. Por ser proibido o impulsionamento de conteúdo por apoiadores, esses anúncios deverão identificar como responsáveis a candidata, o candidato, o partido, a coligação ou a federação partidária.

Leia Também:  Os ex-superaliados que terminam 2019 como "desafetos" de Bolsonaro

A resolução proíbe a contratação de pessoas físicas ou jurídicas que façam publicações de cunho político-eleitoral em páginas na internet ou redes sociais.

Críticas e elogios em página pessoal

A publicação com elogios ou críticas a candidatas e candidatos, feitos por uma eleitora ou eleitor em página pessoal, não será considerada propaganda eleitoral. A repercussão desse conteúdo está autorizada, desde que não ocorra impulsionamento pago de publicações por parte do eleitor com a finalidade de obter maior engajamento.

Desinformação

Além de proibir a veiculação de propaganda com o objetivo de degradar ou ridicularizar candidatas e candidatos, a resolução também veda a divulgação ou compartilhamento de fatos sabidamente inverídicos ou gravemente descontextualizados que atinja a integridade do processo eleitoral, inclusive os de votação, apuração e totalização de votos.

Envio de mensagens

A resolução permite o envio de mensagens eletrônicas às eleitoras e eleitores que se cadastrarem voluntariamente para recebê-las. Porém, os emissores devem ser identificados, bem como precisam ser cumpridas as regras da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Mecanismos para o descadastramento devem ser disponibilizados para a pessoa que não quiser mais receber as mensagens.

Proibidos telemarketing e disparo em massa

A norma veda a propaganda via telemarketing e o disparo em massa de conteúdo eleitoral por meio de mensagens de texto, sem o consentimento prévio do destinatário. Além de proibido, esse disparo pode ser sancionado como práticas de abuso de poder econômico e propaganda irregular. Nesse caso, a multa prevista varia entre R$ 5 mil a R$ 30 mil.

Direito de resposta

A legislação garante o direito de resposta à propaganda na internet. Os abusos identificados podem ser punidos com multa, sendo que a Justiça Eleitoral poderá ordenar a retirada do conteúdo abusivo de páginas na internet e das redes sociais.

Leia Também:  Por 12 a 11, AL mantém desconto aos inativos que ganham até R$ 6,1 mil

PROPAGANDA EM GERAL

Showmício

A norma proíbe a realização de showmício, presencial ou transmitido pela internet, para promoção de candidatas e candidatos e a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral. A única exceção é a realização de shows e eventos com a finalidade específica de arrecadar recursos para a campanha, sem que haja pedido de voto.

A proibição de realizar shows também não se estende a candidatas e candidatos que sejam profissionais da classe artística – como cantoras, cantores, atrizes, atores, apresentadoras e apresentadores –, que poderão exercer as atividades normais de sua profissão durante o período eleitoral, desde que não apareçam em programas de rádio e de televisão nem utilizem tais eventos para promover a candidatura.

Uso de outdoor

É vedada a propaganda eleitoral por meio de outdoors, inclusive eletrônicos. A violação da regra sujeita a empresa responsável, partidos, federações, coligações e candidatas e candidatos à imediata retirada da propaganda irregular e ao pagamento de multa no valor de R$ 5 mil a R$ 15 mil.

Materiais de campanha

No dia da eleição, a eleitora ou eleitor poderá revelar a sua preferência por determinada candidatura. Porém, a manifestação deve ser silenciosa por meio do uso de bandeiras, broches, dísticos, adesivos, camisetas e outros adornos semelhantes. A norma proíbe a aglomeração de pessoas com vestuário padronizado que caracterize uma manifestação coletiva.

Propaganda na imprensa

Na imprensa, não será considerada propaganda eleitoral a divulgação de opinião favorável à candidata, candidato, partido, coligação ou federação partidária, desde que não seja matéria paga.

Confira a íntegra da resolução sobre o tema

EM/CM

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA