Saúde

Mais de 95% de internados por Covid são não-vacinados, diz infectologista do SBIm

À CNN, Renato Kfouri afirmou que indivíduos contaminados têm menos chance de transmitir Covid-19 caso estejam com esquema vacinal completo

Publicados

Saúde

Pessoas com imunização incompleta contra a Covid-19 são maioria entre os novos hospitalizados com a doença, diz Renato Kfouri, infectologista e diretor da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), com base em resultados de estudos nacionais e internacionais.

“Estados Unidos, Israel e mesmo o Brasil já publicaram dados que corroboram esse cenário. Entre os hospitalizados com forma grave da doença, mais de 95% são não-vacinados. Só está parando no hospital quem não tem esquema vacinal completo.”

De acordo com Kfouri, as pessoas imunizadas que se infectam e desenvolvem forma grave são, em geral, grupos de imunossuprimidos ou idosos. “A importância da dose de reforço vem daí”, diz.

O infectologista comenta outro resultado de efetividade que diz respeito à capacidade do indivíduo transmitir a Covid-19. “O risco do indivíduo vacinado transmitir doença é muito menor. Esse é um dado importante destes novos estudos também.”

Terceira dose

O diretor da SBIm explicou que, após seis meses da aplicação da segunda dose, há um prejuízo na proteção independente se a pessoa tomou AstraZeneca, Pfizer, Coronavac ou Janssen. “Esse é um efeito de classe para todas as vacinas”.

Leia Também:  5 remédios caseiros que combatem ansiedade e depressão

Kfouri reforçou a necessidade da proteção dos idosos e analisou que o fator idade ainda é o que impõe mais risco. “Indivíduos idosos, acima de 70 e 80 anos, mesmo vacinados, continuam com o risco maior de hospitalização e morte do que adultos não vacinados”, disse.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Em 3 dias, MT tem mais de 7,2 mil teste positivos para covid-19 e 26 mortes

Entre as vítimas, está um centenário, um homem morador de Cuiabá, que morreu aos 102 anos

Publicados

em

Em três dias, mais de 7,2 mil mato-grossenses tiveram resultado para covid-19, sendo que 26 mato-grossenses não resistiram à ação do vírus e morreram, segundo boletim epidemiológico divulgado pelaSecretaria de Estado de Saúde (SES), esta segunda (24).

Entre as mortes, está novamente mais um centenário, um homem morador de Cuiabá, que morreu por conta da ação do coronavírus aos 102 anos.

Os dados levam em consideração o sábado (22) e o domingo (23), já que o boletim não é mais publicado aos finais de semana.

De acordo com o boletim, a ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva tiveram uma alta e chegou

a uma taxa de 82,8%. Já o percentual das enfermarias também subiu para 42%. Por estarem com sintomas leves

ou até assintomáticos, mais de 25,6 mil mato-grossenses estão em isolamento domiciliar.

No total, 764 pessoas estão internadas com a doença no Estado, considerando leitos públicos e privados. No

dia 3 de janeiro eram só 244. Um aumento de mais de 200%.

Leia Também:  Cuiabá se mantém na Série A e garante vaga na Sul-Americana

Os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 são Cuiabá (117.124). várzea Grande (44.652),

Rondonópolis (39.573), Sinop (28.292), Tangará da Serra (19.623), Sorriso (18.797), Lucas do Rio Verde (17.288),

Primavera do Leste (16.600), Cáceres (13.552) e Alta Floresta (12.083).

Desde o início da pandemia, já foram confirmados 601.453 casos da covid-19 em Mato Grosso, sendo 14.205

óbitos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA