Saúde

Mato Grosso registra 4 casos de covid-19 da variante delta

Publicados

Saúde

Mato Grosso confirma 4 casos positivos para a variante delta. Dez amostras enviadas ao laboratório de referência nacional, o Instituto Adolfo Lutz, estavam em análise após suspeitas no Estado. Apesar da constatação da variante, nenhum dos pacientes foi a óbito, segundo informou a Secretaria de Estado de Saúde (SES) nesta terçafeira (5).

As amostras foram enviadas em julho deste ano e, desde então, o Estado aguardava a confirmação das suspeitas, uma vez que os exames precisavam passar por laboratório de referência. O Lutz, que certifica exames de todo o país, recebe uma grande demanda, o que resulta em demora nos resultados.

Até a publicação do último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, em 25 de setembro de 2021, Mato Grosso ainda não constava na lista de estados com casos positivos para a variante delta. Porém, o boletim epidemiológico da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 28 de setembro de 2021 já apontava que a VOC (variante de atenção e/ou preocupação) delta já havia sido identificada em amostras de outubro de 2020, com notificações em 187 países.

Leia Também:  Barra do Garças e mais 21 cidades segue com risco muito alto de contaminação pela Covid-19

Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, considerando que o sequenciamento genômico está sendo realizado por vários laboratórios do país e que nem todos pertencem à Rede Nacional de Laboratórios de Saúde Pública, muitos resultados podem ter sido notificados apenas aos municípios ou estados ou, até mesmo, ainda não terem sido notificados a nenhum ente do Sistema Único de Saúde, tendo sido apenas depositados em sites abertos de sequenciamento genômico, o que torna necessário fortalecimento da vigilância epi-genômica ao nível da SVS/MS.

A partir dessas informações, foi instituído um monitoramento das VOC no país e, dessa forma, a Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do ministério realiza levantamento semanal com as Secretarias de Saúde das unidades da federação (UF) sobre os resultados liberados dos sequenciamentos genômicos informados pela rede laboratorial de referência.

Primeiro caso

Na segunda quinzena de julho de 2021, o Instituto de Análises Clínicas (Inac) confirmou a primeira infecção causada pela variante delta em Mato Grosso. O caso foi identificado em uma paciente de 15 anos, que apresentou sintomas gripais leves, como dores no corpo e na cabeça.

Leia Também:  15 deputados fazem teste para covid-19 após contato com ex-servidor

Conforme o laudo do laboratório, a paciente, moradora de Cuiabá, já havia apresentado outra confirmação da mesma variante, por meio do exame RT-PCR, em março deste ano. Entretanto, no dia 20 de julho, uma médica responsável pela adolescente solicitou novo exame.

A nova suspeita foi tratada como “uma possível reinfecção”, visto que em “curto lapso temporal” o resultado se repetiu. Com sintomas gripais leves, a adolescente e outros familiares foram monitorados pelo município. Na época, as secretarias de Saúde do município e do Estado foram notificadas sobre o caso, pois o exame havia sido realizado numa unidade particular. Desde então, o exame foi encaminhado para o Instituto Adolfo Lutz para certificação.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Prefeitura de Barra do Garças renova leitos de UTI do Pronto Socorro com novas camas elétricas

As novas camas foram compradas para substituir seis leitos que estavam sendo alugados mensalmente para uso hospitalar.

Publicados

em

A Prefeitura de Barra do Garças, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, adquiriu recentemente oito novos leitos elétricos para a UTI do Pronto Socorro Municipal. As novas camas foram compradas para substituir seis leitos que estavam sendo alugados mensalmente para uso hospitalar, com a nova aquisição estão sendo economizados cerca de R$ 90 mil anuais aos cofres municipais.

As camas foram adquiridas através de recursos de emenda parlamentar, e o secretário de Saúde, Adilson Tavares, frisou que era um anseio antigo da gestão renovar os leitos do Pronto Socorro e deixar de pagar aluguel por camas hospitalares.

“Nossa visão é em breve substituir todos os leitos por camas novas, elétricas e modernas para melhor atender nossos pacientes. Estávamos pagando mais de R$ 1.300 mensais por cama aqui no hospital, seis eram alugadas, com essa economia também podemos investir mais na estrutura do Pronto Socorro e transformar a Saúde do nosso município”.

A coordenadora geral do Pronto Socorro, Alverina Kosanke, falou sobre a necessidade urgente das camas para atender os pacientes mais necessitados.

Leia Também:  Barra Aragarças e Pontal do Araguaia se prepara para o XXV Prêmio Quality AGVPPEL 2021

“Com as camas que chegaram nós já conseguimos acomodar os pacientes que mais precisavam, com mais conforto e de forma adequada. Estamos aguardando agora os novos leitos que ainda virão e que vão auxiliar no tratamento dos pacientes da UTI e da Semi Intensiva”.

De acordo com a Secretaria de Saúde, outras 14 camas estão em processo licitatório para aquisição e em breve devem chegar ao Pronto Socorro. Além disso, estão sendo adquiridos insumos e equipamentos hospitalares novos,  através de recursos do deputado estadual Nininho, no valor de R$ 200 mil, que irão contribuir com a renovação e modernização de todos os leitos de UTI e enfermaria do hospital.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA