Segurança Pública

PM recupera R$ 164,7 mil com suspeitos de roubo a cooperativas de crédito

Em buscas aos criminosos, equipe do Bope foi recebida a tiros e revidou a agressão e atingiu quatro suspeitos

Publicados

Segurança Pública

A Polícia Militar recuperou R$ 164.731,25 do dinheiro roubado das cooperativas de crédito Sicredi e Sicoob, no dia 4 de junho, em Nova Bandeirantes, após os policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) entrarem em confronto com suspeitos do crime, na tarde desta quinta-feira (10.06).

Os policiais do Bope foram chamados pela equipe da Força Tática, depois de virem que uma caminhonete branca empreendeu fuga assim que avistou a barreira policial, retornando com o veículo pela Estrada Procomp.

A equipe da barreira foi atrás dos suspeitos e avistou pessoas abandonando o carro e correndo em direção à mata. A Força Tática acionou o Bope, que deu apoio imediato, bem como as demais viaturas da operação.

A Força Tática retornou com a caminhonete abandonada para o ponto da barreira. Os policiais do Bope coletaram as informações e foram em busca dos suspeitos no meio da mata. Em um dado momento, a equipe do Bope foi surpreendida por disparos de arma de fogo e iniciou-se um confronto armado. Quatro suspeitos foram atingidos, foram levados ao Hospital Municipal de Nova Bandeirantes, mas não resistiram aos ferimentos.

Leia Também:  Polícia Civil abre seletivo em MT; salário é de R$ 10 mil

Com os bandidos foram encontradas roupas militares, armas e parte do dinheiro do roubo. As buscas, iniciadas há 6 dias, vão continuar até chegar a todos os envolvidos no crime da modalidade de Novo Cangaço.

A operação também continua por tempo indeterminado, com barreiras e incursões nos locais onde houve relatos de indícios e informações de presença de criminosos.

O caso do roubo às cooperativas está sob investigação da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Judiciária Civil.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Segurança Pública

Polícia Civil incinera cerca de meia tonelada de cloridrato de cocaína em Barra do Garças

Para a incineração foi montada uma força tarefa que contou com a participação dos policiais civis da Delegacia Regional, 1ª Delegacia de Polícia e 2ª Delegacia de Polícia.

Publicados

em

A Polícia Civil realizou a incineração da 420 tabletes de cloridrato de cocaína, totalizando aproximadamente 500 quilos do entorpecente, na tarde quinta-feira (10) no município de Barra do Garças (MT).

A destruição está inserida na “Operação Integrada Narco Brasil” deflagrada pelas forças de segurança pública, visando desenvolver ações preventivas, de inteligência e repressão contra o tráfico de drogas e incineração, proporcionando à população de Mato Grosso a devida sensação de segurança.

Após autorização judicial a queima dos 420 tabletes da substância considerada pura e avaliada no mercado ilícito em cerca de R$ 25 milhões, foi realizada em uma empresa de cerâmica na cidade de Barra do Garças.

Para a incineração foi montada uma força tarefa que contou com a participação dos policiais civis da Delegacia Regional, 1ª Delegacia de Polícia e 2ª Delegacia de Polícia, coordenados pelos delegados de polícia Wilyney Santana Borges e Antônio Moura Filho.

Também estiveram presente acompanhando o ato equipes da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e da Vigilância Sanitária de Barra do Garças.

Leia Também:  Operação de Carnaval em MT terá blitz da Lei Seca todos os dias

A operação integrada Narco Brasil é coordenada pela Secretaria de Operações Integradas, com atuação das polícias Civis e Militares das unidades da federação e parceria com a Secretaria Nacional de Política sobre Drogas, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PAU E PROSA

POLICIAL

CIDADES

POLÍTICA

MAIS LIDAS DA SEMANA